FAMÍLIA & CRIANÇAS

Uma em cada cinco crianças no mundo tem algum transtorno mental; e o ambiente em que crescem está relacionado a isso

July 4, 2018 16:51

A discussão sobre transtornos mentais e seus impactos no ser humano tem sido cada vez mais frequente, o que é importante para ajudar a desmistificar crenças acerca do tema e também minimizar o preconceito existente na sociedade quanto ao tratamento destas doenças. 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Distimia: não é uma falha de caráter, mas uma doença mental legítima

No entanto, o que muita gente ainda não sabe é que entre 50% e 75% dos transtornos mentais surgem até os 18 anos, sendo que uma em cada cinco crianças apresentam sintomas da doença ainda na infância. 

Itummy/ Shutterstock.com

As causas para isso são várias. Entre as principais, está o que especialistas chamam de "estresse tóxico" na primeira infância. Esse termo se refere e traumas de diversas intensidades (leves, médios e altos) que acontecem de forma frequente e acabam por minar a saúde mental da pessoa entre 0 e 6 anos de idade. 

Monkey Business Images/ Shutterstock.com

O ambiente em que se vive é, também, fator que pode levar à doenças mentais. Ser membro de uma família desestruturada e emocionalmente instável - especialmente quando apresenta-se problemas com álcool e drogas, além de induzir a criança a praticar o mesmo comportamento, também destrói a capacidade mental e contribui para problemas mais sérios. 

Conheça abaixo um pouco mais sobre os transtornos mentais mais comuns: 

Ansiedade

Sensação de desconforto, tensão, medo ou mau pressentimento são alguns dos principais sintomas da ansiedade. O transtorno é mais comum do que se imagina, e está presente em 1 em cada 4 pessoas. Suas formas mais conhecidas são ansiedade generalizada, síndrome do pânico e fobias. Se não tratada corretamente, a ansiedade pode retirar a pessoa do convívio social e também  demonstrar-se fisicamente, com palpitações, suor, falta de ar e sensação de sufocamento. 

Fure/ Shutterstock.com

Seu tratamento consiste em psicoterapia, além de sessões com psiquiatras e, se necessário, indicação de remédios que aliviam os sintomas. 

Depressão

Pode até parecer besteira falar em depressão, mas a doença atinge cerca de 15% das pessoas em algum momento da vida. Seus primeiros sinais podem ser confundidos com uma simples sensação de tristeza. Mas a indicação principal de que se está entrando num quadro depressivo é quando o mau humor e a tristeza persistem por mais de duas semanas. 

Igorstevanovic/ Shutterstock.com

No caso da depressão, o tratamento também com acompanhamento psiquiátrico e, se preciso, uso de medicamentos antidepressivos. 

Esquizofrenia 

A esquizofrenia provoca distúrbios da linguagem, pensamento, percepção, atividade social, afeto e vontade. Normalmente, surge no final da adolescência. Entre seus sintomas mais comuns estão as alucinações, alterações de comportamento e pensamento desorganizado. 

Andriano.cz/ Shutterstock.com

O psiquiatra que acompanha o indivíduo com quadro esquizofrênico indicará medicamentos que possam ajudar a controlar os sintomas e manter a estabilidade emocional.

Transtornos alimentares

Anorexia e bulimia são dois dos transtornos alimentares mais comuns. Normalmente, apresenta-se em jovens, especialmente aqueles demasiadamente preocupados com a estética. No entanto, outros transtornos alimentares podem levar à obsessão por comer somente alimentos saudáveis (Ortorexia) ou obsessão por ter um corpo saudável (Vigorexia). 

VGstockstudio/ Shutterstock.com

Nestes casos, o jovem precisa ser atendido por uma equipe multidisciplinar, composta por psiquiatra, psicólogo e nutricionista, a fim de que o problema seja solucionado da melhor maneira possível. 

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

Pensamentos obsessivos atrapalham o indivíduo até mesmo em tarefas comuns do dia a dia. Algumas delas são a fixação por limpeza, necessidade de que tudo seja simétrico ou impulsividade por acumular objetos variados. 

Kaspars Grinvalds/ Shutterstock.com

Remédios antidepressivos também ajudam no controle desta doença mental. 

Fonte: Gazeta do Povo, Tua Saúde

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 8 sintomas mais comuns de esgotamento mental


O material deste artigo é destinado apenas a fins informativos e não substitui o conselho de um especialista devidamente habilitado.