INSPIRAÇÃO

Imagens emocionantes de um garoto de 6 anos traumatizado se reunindo com seu pai imigrante depois de terem ficado separados por 2 meses

July 23, 2018 17:53

Em um vídeo recentemente publicado que está viralizando nas redes sociais, um menino de seis anos de idade visivelmente traumatizado se reuniu com seu pai dois meses depois de eles terem sido separados devido às leis americanas de imigração.

Leia a história do @LATbermudez: "No aeroporto, Che Coc ensaiou em sua cabeça as primeiras palavras que diria a seu filho. 'Bem-vindo, meu filho'. 'Você está comigo de novo'. Mas nenhum tipo de plano poderia tê-lo preparado para o vazio nos olhos do filho enquanto segurava o menino em seus braços".

Um homem chamado Hermelindo Che Coc foi separado de seu filho, Jefferson, quando chegaram à fronteira dos EUA buscando asilo da violência na Guatemala.

Hermelindo espera em um lounge da companhia aérea. Cercado pelo luxo oferecido a passageiros da primeira classe e por requintados livros na mesa de café, tudo o que o pai conseguia pensar era em seu filho. Ele chora, reza e ajusta um cronômetro para monitorar os minutos. Ele vê uma foto de um avião e pergunta se é do tamanho do avião de seu filho.

Quarenta e seis dias depois, pai e filho se reúnem, mas o vídeo comovente desse momento não era nada parecido com o momento de reencontro que você poderia esperar.

Hermelindo espera em um longo corredor para finalmente se reunir com seu filho de 6 anos, Jefferson. "Ele é o amor da minha vida, meu herói", ele disse.

O encontro foi documentado pelo jornal norte-americano Los Angeles Times e as fotos e vídeos foram publicados no Twitter. Nesta filmagem, Jefferson tinha um olhar vago e vazio quando viu seu pai.

Esta noite, o refugiado guatemalteco Hermelindo Che Coc se reuniu com seu filho de 6 anos, Jefferson, no LAX [aeroporto de Los Angeles]. Os dois foram separados na fronteira [dos EUA] e não se viam há quase 2 meses. O menino tinha um olhar vago. Também tinha tosse, um machucado no olho e erupções cutâneas por todo o corpo.

Em vez de correr para abraçar seu pai como a maioria das crianças faria, ele parecia um pouco assustado e confuso. Ele não disse uma palavra quando seu pai se aproximou para lhe dar um abraço.

O momento em que Hermelindo e seu filho se viram. Jefferson parou no corredor a vários metros de seu pai. Ele olhava para o chão. Quando olhou para cima, seu olhar estava vago. Ele não foi até Che Coc, não levantou os braços para abraçá-lo. "Papa", gritou Hermelindo. "Papa".

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Herói da vida real! Imigrante ilegal que escalou prédio para salvar criança em Paris vai receber nacionalidade francesa e emprego no Corpo de Bombeiros

Esmeralda Bermudez, do LA Times, que compartilhou a publicação no Twitter, disse que notaram que a criança estava com tosse, machucados e erupções cutâneas por todo o corpo.

“Jefferson Che Pop, um garoto brincalhão que adorava brincar com seus carrinhos pelo chão de terra de sua casa na Guatemala, ficou rígido, olhando vagamente para o carpete cinza. Jefferson havia sido mantido em um centro de detenção em Nova Iorque. Ele falou com o pai por três vezes em 46 dias.

Muitas pessoas sugeriram que talvez o garoto tenha reagido de maneira estranha porque Che Coc não era o verdadeiro pai de Jefferson, mas Bermudez assegurou que os documentos do pai foram verificados e sua identidade confirmada.

O pai foi obrigado a apresentar documentação e identificação adequadas para ter seu filho de volta. Eu escrevi a história e estava presente durante a entrega.

Che Coc ficou incrivelmente chocado e de coração partido com a condição de seu filho quando o viu. "Não foi assim que entreguei meu filho a eles", disse o pai aflito ao LA Times.

Os olhos de Jefferson estavam vazios, perdidos. Ele não foi até seu pai, não se moveu para abraçá-lo. Hermelindo chorou no reencontro e disse "papa" para seu filho.

Jefferson foi mantido no centro de detenção Cayuga Centers em Nova Iorque durante o período em que ficou separado de seu pai. De acordo com Che Coc, ele não teve nenhum contato com o filho nos primeiros 26 dias. Ele nem sabia onde seu filho estava.

Em sua aldeia guatemalteca, Hermelindo sabia que Trump era presidente, mas as notícias sobre suas políticas de imigração não chegaram até ele. Depois de tudo o que passou, ele ainda diz que tem apreço por este país [Estados Unidos]. "Eu nunca poderei dizer que os EUA não são bons porque as pessoas me ajudaram."

Quando finalmente falou com Jefferson no telefone, o menino assustado disse que achava que seu pai havia morrido.

Papa, I thought they killed you. You separated from me. You don’t love me anymore?

Papai, achei que eles haviam te matado. Você se separou de mim. Você não me ama mais?

Agora eles planejam lutar por asilo para pai e filho, uma proteção garantida pela lei internacional.

Che Coc disse que fugiu com seu filho de sua casa na Guatemala devido à violência e desordem de lá. Ele deixou sua esposa e outros dois filhos para trás e esperava encontrar uma vida mais segura nos Estados Unidos.

Fonte: Esmeralda Bermudez / Twitter, Marcus Yam / Twitter, Scary Mommy

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Política de Trump para imigrantes ilegais nos EUA, responsável por separar menino autista de avó, gera indignação na primeira-dama