ANIMAIS

A incrível história de recuperação de Angel, uma cachorra traumatizada e que passava o dia apenas encarando a parede

October 31, 2018 16:57

Infelizmente, o abuso de animais ainda é uma prática bastante comum mesmo nos dias de hoje. Ratos e coelhos sofrem com os mais diferentes testes e experimentos feitos em laboratório, leões e ursos são abusados em circos, os golfinhos estão vivendo em condições absolutamente artificiais e insalubres em parques aquáticos. Mas você sabia que são os nossos amigos mais próximos, os cachorros, que mais sofrem de abuso contra os animais?

De acordo com estudos recentes, os cães são vítimas em mais de 60% dos casos relatados de abuso contra animais. Nos relatos, o tipo mais comum de agressão é o abuso físico. Os cães precisam da nossa ajuda, e se você quiser saber como cuidar de um cão que sofreu abuso, você está no lugar certo.

RATT_ANARACH / Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Tipos de abuso contra os animais: desde a negligência dos proprietários até o comércio de peles e brigas de cães

Sinais de abuso em animais

Em primeiro lugar, você precisa saber reconhecer sinais específicos que indicam crueldade contra os animais. Os sinais mais comuns são problemas comportamentais:

  1. Medo de outros cães e de pessoas ocorre principalmente por conta de abusos físicos sofridos. O cão abusado aprende a associar seres humanos com dor e maus-tratos. Quanto ao medo de outros cães, é difícil dizer por que se desenvolve. Especialistas assumem que tal medo pode ocorrer quando o cão é maltratado na presença de outros cães.
  2. Elevada agressividade. A existência de tal sintoma indica que o cão passou por algum tipo de estresse, especialmente no início da vida. Especialistas acreditam que o medo também desempenha um papel crucial para um comportamento agressivo.
  3. Distúrbio relacionado à separação. Esse comportamento incomum se manifesta na forma de uma maior ansiedade em momentos que envolvam distanciamento ou separação. Isso significa que o cão abusado (geralmente abusado psicologicamente) tende a procurar maior atenção ou apego aos novos donos. Simplificando, os cães que sofrem dos distúrbios de separação temem ser abandonados novamente. É relativamente fácil se relacionar com esse tipo de cão.
  4. Nervosismo extremo. Devido aos constantes maus-tratos, o sistema nervoso do cão pode dar sinais de nervosismo mesmo durante atividades simples, como descer as escadas ou sair de casa. Esses cães tendem a latir mais alto e com mais frequência. O sistema nervoso que passa a ficar constantemente em guarda, muitas vezes resulta em uma hiperatividade nos cães.
  5. Ações repetitivas e estranhas. Cães maltratados podem frequentemente mostrar comportamentos anormais repetitivos e ritualísticos, como escavar buracos obsessivamente, girar em círculos (quando estressados), acumular sapatos, etc.

Bilanol / Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Resgate de filme! Homens resgatam no laço um cachorro que era arrastado pela correnteza!

Como ajudar cães maltratados

Há muitas dicas sobre como ajudar um cão maltratado a se recuperar dos horrores do passado. Muitos especialistas recomendam procurar a ajuda de um centro de reabilitação de cães. No entanto, se você quiser fazer por conta própria, aqui estão as principais dicas:

  1. Reabilitação de cães que sofreram algum tipo de abuso deve começar com o treinamento do cão maltratado para que ele passe a confiar em você. Criar um vínculo forte é fundamental na recuperação rápida de qualquer cão por maus-tratos. Seja paciente, isso pode demorar um pouco.
  2. Atender as necessidades básicas do cão: uma coleira de identificação, local com água e comida para o cão (pelo menos duas vezes por dia), fornecer-lhes o seu próprio espaço, dar a ele um nome (procure não mudar o nome dado para não deixar o seu cão confuso), sempre dê um petisco ou algo diferenciado quando ele seguir o seu comando ou quando ele faz algo muito bom.
  3. Demonstre seu amor por ele. Nunca faça carinho em seu cão por trás. Cães abusados podem ficar assustados ou reagir agressivamente. Nunca bata em seu cão e nem levante a voz. Não os force a fazer qualquer coisa que eles não queiram fazer.
  4. Discipline seu cão com sabedoria. Muitas pessoas não sabem como disciplinar um cão que sofreu abusos. Além disso, muitas vezes, os métodos inadequados do proprietário podem traumatizar ainda mais o seu animal de estimação. Existem duas regras simples: punir o cão APENAS quando apanhado em flagrante e nunca ser violento no castigo. Palavras positivas podem fazer milagres, enquanto que bater e gritar são recursos que podem causar danos ainda maiores.
  5. A socialização é muitas vezes a chave para uma recuperação bem-sucedida. Qualquer cão que sofreu algum tipo de abuso precisa ter uma experiência social positiva para construir a confiança com outras criaturas. Queremos compartilhar a história de Angel como um exemplo do impacto da socialização.

Inside Edition / YouTube

Angel estava tão traumatizada que vivia sentada no canto, encarando a parede o dia todo, e comia apenas quando não havia ninguém por perto. Ninguém sabia o que fazer com essa pobre criatura. No entanto, ela precisava simplesmente de um amigo para voltar à vida normal. A nova família de Angel trouxe outro cão do mesmo abrigo de animais, e não demorou muito para que fossem percebidas mudanças significativas na personalidade de Angel! Em meio ano, Angel deixou de ser uma criatura amedrontada e passou a ser um cão feliz e confiante.

Acreditamos que qualquer pessoa pode ajudar um cão da mesma forma que a família de Angel. Com amor, compaixão e compreensão, você pode curar e treinar seu companheiro. Os cães são os melhores amigos dos humanos por uma boa razão: você nunca verá um companheiro tão leal e amoroso. Espero que agora você saiba como ajudar cães maltratados.

P.S. Você não precisa necessariamente ajudar um cão maltratado por meio de adoção. Denuncie qualquer caso de crueldade contra os animais através dos canais de proteção animal. Eles precisam da sua ajuda. 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Foto de um cão compartilhando seu cobertor com um amigo desabrigado nos dá uma lição de compaixão