Artista cria acessório que permite que cadeirantes façam s

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Artista cria acessório que permite que cadeirantes façam suas próprias artes

Date October 18, 2017 14:58

Já estão mais do que comprovados os inúmeros resultados positivos da arte para pessoas com qualquer tipo de deficiência. A dança, a pintura, a música, o artesanato. Essas atividades já são muito utilizadas por arteterapeutas em todo o mundo pelos benefícios físicos, mentais e emocionais já comprovados.

Na área de artes plásticas, muitos artistas trabalham individualmente, mas alguns pensam de forma mais global e social é o caso deste artista, Dwayne Szot. Desde criança ele dizia que queria fazer um tipo diferente de arte, ajudando as pessoas e não apenas expondo suas pinturas em museu. Ele queria fazer arte para promover mudanças sociais. Ele define suas ações como criação de plenitude de experiências.

Recomendado para você: Professora com deficiência dá aula de Ioga nos Estados Unidos. É de arrasar!

Como cresceu junto com seus irmãos adotivos com deficiência, conviveu em uma realidade de adaptação e busca por acessibilidade. A partir destas memórias de infância, se inspirou para criar um acessório que permite que crianças cadeirantes possam pintar no chão e que produzam bolhas.

Dwayne Szot é um artista que se dedica a criar e inventar peças e ferramentas para crianças com deficiência e já é conhecido pelo progresso de reabilitação de crianças graças a essas peças.

O artista começou suas criações no final dos anos oitenta, com a primeira versão de cadeira de rodas de pinturas. De lá para cá, só vem se aperfeiçoando e inventando novas maneiras de fazer a alegria de crianças com mobilidade reduzida em atividades artísticas.

Szot explica que o que ele criou vai muito além de fazer com que as crianças deixem marcas no chão. O que elas recebem é a oportunidade de curtir a vida em seu máximo, por meio de experiências plenas.

São pessoas como Szot que fazem do mundo um lugar melhor, mais inclusivo, mais acessível e mais feliz.

Veja também: Pai de filha com deficiência excluída por outras crianças cria um parque totalmente inclusivo