"Não tinha forças para levantar": Cachorra abandonada e desnutrida realiza uma fuga, digna de filme, para salvar sua vida!

"Não tinha forças para levantar": Cachorra abandonada e desnutrida realiza uma fuga, digna de filme, para salvar sua vida!

Animais

October 10, 2018 16:54 By Fabiosa

Os cães podem ser grandes amigos dos humanos. Seu amor incondicional é capaz de marcar nossas vidas e produzir uma relação maravilhosa. Mas é preciso sempre lembrar que eles não são simples objetos de decoração. Os pequenos são seres vivos e precisam de cuidados e muito carinho.

Mas não são todas as pessoas que têm essa consciência a respeito dos cães. Uma história, ao mesmo tempo comovente e revoltante, mostra a triste realidade de muitos pets no Brasil.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Oi pessoal, estou indo, graças ao papai do céu. Este é o momento do meu resgate pela ONG Paraíso dos Focinhos. Segundo a tia do taxi dog vou fazer exames, tratamento, depois serei castrada e vacinada. Disseram que lá tem uma ração especial que vai me deixar fortinha. Pra quem não conhece minha história... Passei fome. Fiquei muito tempo presa num terreno, tomando conta. Quer dizer, eu não tomava conta de nada, porque sem comer e beber água, não tinha forças nem para levantar. Perdi algumas unhas, tentando escalar o muro para fugir. Mas também não tinha energia para conseguir. Se existe sofrimento nessa vida, foi o que passei. Água? Só quando tinha chuva, eu rezava para chover para acabar com minha sede. Mas também, quando chovia eu sentia muito frio, porque o terreno não tinha cobertura. Ou sentia sede ou frio. Comi muita folha seca da árvore, e uns frutinhos que caiam de vez em quando. Nós cachorros não somos bons de tempo, mas pela minha magreza vocês podem imaginar a quantidade de tempo que fiquei aprisionada como “ segurança” desse inferno, né? Como consegui fugir? O portão era muito velho, enferrujado, todo dia eu metia o focinho e forçava entre a abertura. Um dia, por sorte, com o vento, o portão bateu forte e abriu. Eu corri muitoooooooooooooo. Não olhei para trás. Meu medo era o meu ex dono me achar e levar de volta. Corri tanto quanto suportei, e caí sem forças. Na rua pedi ajuda. Uma moça passou e disse que ia pedir ao pessoal das mídias sociais da ONG Paraíso dos Focinhos para me levar pra lá. E agora estou aqui. Mas preciso da ajuda de vocês. Me ajudem, queria uma segunda chance. Um realzinho, vai?! Caramela Associação Paraíso dos Focinhos CNPJ 19.614.984/0001-29 Bradesco AG. 2915 Conta: 99.999-7 Caixa Econômica Federal Ag.: 2913 Op: 003 Conta: 1602-4 *Quem não puder ajudar com moedinhas, pode compartilhar e curtir. Precisamos de todo apoio! Através do link https://pag.ae/bgvYJJf ou site da ONG www.paraisodosfocinhos.com.br

Uma publicação compartilhada por Paraíso dos Focinhos (@ongparaisodosfocinhos) em

A postagem feita por uma ONG, narra, do ponto de vista de uma cadelinha, os maus-tratos sofridos por um dono negligente. “Passei fome. Fiquei muito tempo presa num terreno, tomando conta. Quer dizer, eu não tomava conta de nada, porque sem comer e beber água, não tinha forças nem para levantar”, dizia a publicação.

Segundo o reato da ONG, Paraíso dos Focinhos, esta cadelinha passou muito tempo trancada dentro de um terreno. Ela foi deixada como vigia do local pelo dono, que não teve nenhum cuidado básico com o animal.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Oi para tudo! O que é aquele monte de ração ali? É pastinha de lata? Uau! Sabor carne, frango. Nunca comi, mas sabia que existia. E a piscina? É para os humanos? Não? Como assim para os cães? Cê tá brincando comigo tia? Desculpa, não me apresentei, sou Caramela. E a senhora? Valdinha? Prazer tia Valdinha. E aquele Parcão cheio de brinquedos? É para os cães de raça? Vocês são hospedagem para animais de raça? Estou no endereço errado? Me diz que não, pelo amo do papai do céu! Não? Como assim, aqui é uma ONG para vira-latas? Que doido foi esse que resolveu que cães de rua merecem esse conforto todo? Deus abençoe ele. E aquela ali deitada pegando sol, de vestido lilaz, conversando com o magrinho comendo pastinha, quem é? Dricka e ele Costelinha. Nossa, ele não para de comer, aqui é liberada a comida? “Oiiiii, Dricka, prazer, sou Caramela! Oi Costelinha, pode me dar um pouco da sua pastinha. Acabou? Ah tá bem. A tia Valdinha vai pegar uma lata novinha pra mim”. Por que o Costelinha está abanando a Dricka? Uhn... depois vou entender quem é ela. Tá bom. Tia, que horas que vou lanchar? Eu não tô me aguentando em pé. Quando vou poder nadar na piscina e brincar com aqueles brinquedos do Parcão? Comida agora e as outras coisas depois que tomar vacina, curar e castrar. Me conta uma coisa, como vocês conseguem manter isso tudo assim tão lindo? É o povo das mídias sociais que doa? Nossa! Cada cãozinho que entra ganha doação. Eu vou ganhar também, tia? Poxa, tomara que sim, afinal meu tratamento vai ser daqueles!!! Pessoal, será que também mereço um dinheirinho? Pra quem não conhece minha história... Fiquei muito tempo presa num terreno, tomando conta. sem comer e beber água, não tinha forças nem para levantar. Perdi algumas unhas, tentando escalar o muro para fugir. Mas também não tinha energia para conseguir. Comi muita folha seca da árvore, e uns frutinhos que caiam de vez em quando. Até que consegui fugir. Associação Paraíso dos Focinhos CNPJ 19.614.984/0001-29 Bradesco AG. 2915 Conta 99999-7 CEF Ag 2913 Op 003 Conta 1602-4

Uma publicação compartilhada por Paraíso dos Focinhos (@ongparaisodosfocinhos) em

O terreno não tinha cobertura e ela passava frio nos dias de chuva. Mas esta era uma das poucas oportunidades que ela tinha de beber água, já que, nem isso o dono deixava disponível.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Lealdade verdadeira: cão herói é baleado quatro vezes, mas consegue salvar seu dono adolescente

Sem ração, água ou um ambiente adequado, a cadelinha usava o resto de suas forças para tentar escapar. Ela chegou a perder algumas unhas tentando escalar o muro. Muitas vezes, forçava as grades do portão, em uma tentativa desesperada de fugir.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Paraíso dos Focinhos (@ongparaisodosfocinhos) em

Um dia, por sorte, o portão bateu com a força do vento e deixou uma fresta. Foi o suficiente para a cadelinha passar. Ela correu para a liberdade, mas não aguentou fugir por muito tempo. Muito fraca, ela caiu no chão.

Mas sua história começou a mudar. Encontrada por uma mulher que passava pelo local, ela foi levada para a ONG. Agora ela recebe ajuda veterinária e alimentação adequada. O Paraíso dos Focinhos conta com doações para dar o lar que esta cadelinha merece.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Paraíso dos Focinhos (@ongparaisodosfocinhos) em

Emocionante, não? Você conhece alguma história de maus-tratos na sua região? Deixe seu comentário e ajude a acabar com esta situação.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Ela não se importou em abrir sua loja de madrugada para salvar esse cão