Claudia Di Moura declara que virou atriz por causa do precon

CELEBRIDADES

Claudia Di Moura declara que virou atriz por causa do preconceito da Igreja e desabafa “Sempre quis ser anjo e nunca pude”

Date June 14, 2018 19:14

É a primeira vez que ela aparece em uma novela, mas Claudia Di Moura já tem uma longa carreira como atriz, com mais de 30 anos de atuação no teatro e no cinema. A artista foi achada, por acaso, pela produtora de elenco de Segundo Sol, Vanessa Veiga.

Estreante na TV, ela já chegou assumindo um dos personagens mais polêmicos da trama de João Emanuel: Zefa, cozinheira há anos da família de Severo Athayde (Odilon Wagner), com quem manteve um caso e teve dois filhos, Egdar (Caco Ciocler), que ficou com a patroa, e Roberval (Fabricio Boliveira), o qual foi cuidado pela mãe.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Buchecha abre o coração em programa de Fausto Silva e fala de sua origem humilde

Em meio à polêmica que rondou a trama da Rede Globo, devido à falta de representatividade negra, Claudia desabafou sobre essa realidade com a qual convive desde quando era criança:

Virei atriz por causa do preconceito da Igreja Católica. Eu sempre quis ser anjo da igreja, e nunca pude ser. Sempre era a primeira menininha a chegar para colocar meu nome na lista e diziam que estava lotada. Eu cansava de chegar primeiro, madrugava. Aí, para compensar a minha tristeza, eles me davam uma poesia para declamar. Eu colocava a dor de não ser anjo aí.

Hoje, ao mesmo tempo em que dá provas de seu talento na dramaturgia, sob o papel de uma mulher submissa e conformada em Segundo Sol, a baiana negra de 53 anos se posiciona como uma artista empoderadora e de opinião forte, que luta para que os negros tenham espaço no meio artístico.

Claudia chama atenção para o fato de que o negro sente falta de se ver na televisão e de que a riqueza artística da Bahia vai muito além de astros já consagrados: "Atrás de Lázaro tem uma renca. Tem grandes artistas bons, pretos ou não, porque o manifesto é pelo artista baiano", declarou.

E quando é questionada sobre a falta de atores negros na novela, ela afirma: "nossa missão é batalhar pra aumentar nosso espaço de tela, mas com personagens complexos e relevantes como a Zefa e o Roberval. Tenho certeza de que mais personagens com essa sofisticação estão por vir. Estamos apenas começando".

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Anitta se prepara para turnê na Europa e diz que álbum novo só deve sair no final do ano