Fundador e ex-compositor do "O Rappa!", Marcelo Yuka é internado após ser acometido por uma das doenças que mais matam no Brasil

Celebridades

August 30, 2018 18:44 By Fabiosa

Marcelo Yuka, 52 anos, é um dos grandes nomes da música brasileira. Em 1993, ele fundou a banda O Rappa!, como baterista e compositor. No entanto, desde o tiro que levou em uma tentativa de assalto que o deixou paralítico no ano 2000, a saúde de Yuka nunca mais foi a mesma.

Novo golpe na saúde comprometida do compositor

Segundo o jornalista Leo Dias, Yuka tinha sido internado no hospital por ter sofrido um AVC. Geraldinho Magalhães, empresário dele, confirmou que, por conta da saúde frágil do músico, o mesmo teve uma complicação, mas já tinha recebido alta:

 

O laje que eu peguei sol. Me diz: para onde eu vou? @blackalienofficial

Uma publicação compartilhada por Marcelo Yuka (@marceloyukaoficial) em


“Ficou internado há umas semanas, mas já está em casa. Ele não teve nenhuma sequela”, informa Geraldinho.

Marcelo passou por várias internações hospitalares no ano passado. O músico desenvolveu uma infecção generalizada depois de complicações de uma queda que havia sofrido, e foi obrigado a passar praticamente todo o ano de 2017 no hospital.

Um ano inteiro internado

Em entrevista para o programa Conversa com o Bial, Yuka falou que se sentiu bem perto da morte quando ficou internado por um ano. A morte fez ele se sentir como se ele fosse ser extinto: “Sou o último de mim mesmo”, refletiu Marcelo, por não ter filhos. Ele afirmou que só assim começou a se prender a coisas essenciais.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 10 fatos que você ainda não sabia sobre AVC e que podem ajudar na prevenção

O músico relata que o problema começou em 2016 e, no ano passado, chegou a ficar 8 meses direto deitado na cama do hospital. Ele contou as dificuldades que passou durante este período:

“Fiz um tratamento na câmera hiperbárica, que me deixou temporariamente surdo. Virei doente renal, tive uma série de doenças ocasionadas pela internação”, lamentou Marcelo, em entrevista concedida a Folha de São Paulo.

 

NMRK 🙏🏻

Uma publicação compartilhada por Marcelo Yuka (@marceloyukaoficial) em

O compositor chegou a ficar de 2 a 3 meses na UTI. Ele narra que começou a “perder a noção” das coisas, e criou um amigo imaginário quando esteve naquela situação, não sabe se por causa dos remédios ou do stress. Por causa disso, ele fez dois planos para quando saísse do hospital: ir para a praia e deitar em uma prancha.

A vida de cadeirante

Apesar de conviver com a cadeira de rodas há 18 anos, consequência do tiro que o atingiu, o músico conta que não guarda rancores. Ele revela que desde então convive com dores 24h por dia, mas tenta não pensar muito nelas, senão aumentam.

Depois do incidente, Marcelo confessa que se entregou ao trabalho e a pintura para não pensar nos problemas:

“Muito focado no trabalho. Depois dos tiros, eu meio que fugi para isso, por isso que é tanta produção. Em um ano, eu pintei 300 quadros”, relembra.

 

#SescTijuca

Uma publicação compartilhada por Marcelo Yuka (@marceloyukaoficial) em

Marcelo Yuka é o autor de canções como “A minha alma” (A paz que eu não quero); “Pescador de ilusões”; “O homem amarelo” e “Me deixa”. Conhecido por levantar bandeiras em favor de causas e minorias sociais, o músico se filiou ao PSOL em 2010. Depois de 8 anos no grupo O Rappa!, Yuka foi expulso depois de um desentendimento com os membros, em 2001.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Morre aos 56 anos Carlos Miranda, jurado do Programa “Ídolos” e produtor musical, que lançou grandes bandas do rock nacional como Skank, O Rappa e Raimundos