"Experimentei aos 3 anos": jornalista Bárbara Gancia revela

"Experimentei aos 3 anos": jornalista Bárbara Gancia revela os dramas de sua luta contra o vício

Celebridades

May 18, 2019 01:14 By Fabiosa

Desde que estreou na tela da TV Globo em 2017, o Conversa com Bial tem uma característisca marcante: o jogo de cintura do entrevistador Pedro Bial acaba levando seus convidados a se sentirem confortáveis para fazerem as mais duras revelações sobre suas vidas e seus passados. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Conversa com Bial (@conversacombial) em

Foi exatamente isso que aconteceu com uma convidada recente da atração. A jornalista Bárbara Gancia, que já foi uma das apresentadoras do Saia Justa, no canal pago GNT, compareceu ao programa para falar sobre seu novo livro: A Saideira. Durante o papo, ela falou com bom humor sobre um intenso drama que convive durante toda a sua vida: a luta contra o alcoolismo.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Conversa com Bial (@conversacombial) em

A bebida tem um peso tão sério na vida de Bárbara, que ela revela suas primeiras interações com essas substâncias, já na infância, chocando o público. Ela mesma não tem memórias, mas sua mãe conta que ela experimentou o gosto do álcool já aos 3 anos de idade, em uma festa, e foi encontrada "trançando as pernas". Aos 6, furava bombons para ingerir licor e, novamente, foi encontrada em situação constrangedora.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Tatiana Vasconcellos (@tatianavasconcellos12) em

Aos 9 anos de idade a coisa foi ainda pior: depois de tomar um porre de ponche, ela foi encontrada em uma estrada, deitada "admirando a lua e cantando". Mesmo sendo uma história triste, ela brinca sobre o assunto:

Comecei a beber porque meu metabolismo é um e aquilo casou comigo, eu gostei. Bebia mais que os outros. Eu sou uma bebedora de grande sucesso: o Corinthians ganha, eu bebo; perde, eu bebo; empata, eu bebo, e eu sou santista [risos].

Sóbria há 11 anos, Bárbara já enfrentou diversas recaídas. Ela contou também como lida com a pressão social para tomar álcool e ensinou um truque para driblar: mentir que está tomando antibiótico!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Nice Que Disse! (@nicequedisse) em

Em outro momento, ela relembrou uma situação bastante vexatória:

Uma vez acordei com um cuecão e uma camiseta. Fui informada depois que estava conversando, dei um passo no jardim e tinha um tanque de carpas, caí e, quando voltei, parecia um monstro do pântano. Continuei molhada conversando com as pessoas.

Bárbara finaliza a entrevista relembrando os males que essa substância pode causar na vida de uma pessoa.

Imagina a falta de cuidado com si próprio. Você acaba não tomando banho, não consegue cumprir horário. Toda vez que me meti com isso, saí perdendo. Dá pra ser feliz depois de parar de beber, quando você vê tudo o que construiu, não quer voltar.

Você sabia que o sistema público de saúde do Brasil, o SUS, possui atendimento totalmente gratuito às pessoas que sofrem com os males do alcoolismo? O acolhimento é realizado nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que contam com uma equipe multiprofissional.

Outra alternativa são os Alcoólicos Anônimos, uma irmandade de pessoas que compartilham suas experiências traumáticas com o objetivo de ajudarem-se uns aos outros no combate da doença. O único requisito para ser membro é o desejo de parar de beber. Procure ajuda e tome essa decisão para sua vida.