Foi por amor! Mãe que recusou tratamento contra o câncer para ter sua filha morre aos 29 anos

Quem é mãe sabe bem o que é abrir mão. Somos capazes de perder noites de sono, compromissos e até mesmo sonhos pelo bem dos nossos filhos. Sempre pensamos antes neles e depois em nós.

Com Gemma Nuttal, não foi diferente. Em 2014, a jovem britânica descobriu que estava com câncer de ovário na 16ª semana de gestação de sua primeira filha. Os médicos lhe deram a possibilidade de interromper a gravidez para tratar o tumor, mas essa nunca foi uma opção para ela. 

Gemma decidiu fazer quimioterapia somente após o nascimento da criança. A partir de então, ela passou a travar uma batalha atrás da outra.

Na 36ª semana de gestação, o tumor já estava grande demais, ameaçando o bem-estar tanto da mãe como da filha. Foi então que a jovem se submeteu a uma cesariana. Depois de ver Penélope vir ao mundo, ela foi sedada novamente para ter o tumor removido. 

Enquanto sua bebê se recuperava na UTI, a jovem passou por outro grande susto: a doença tinha se espalhado para o colo do útero. Com quimioterapia, radioterapia e mais uma cirurgia para remover o novo tumor, ela ficou livre do câncer. 

Infelizmente, dois anos depois Gemma descobriu que estava com câncer no cérebro e no pulmão. A luta continuou. Sua família iniciou uma campanha de arrecadação de dinheiro para custear um tratamento experimental contra a doença.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: O mercado cruel da beleza: Empresária morre após ter supercola injetada no corpo em procedimento estético ilegal

Os atores Kate Winslet e Leonardo DiCaprio foram dois dos que contribuíram com a iniciativa. Com ajuda deles, foi possível arrecadar cerca de R$ 5 milhões, o que permitiu que ela fizesse o tratamento e ficasse livre do câncer mais uma vez. Porém, em 2018, Gemma soube que a doença havia voltado, agora na coluna. 

No dia 14 de outubro, a mãe dela, Helen Sproates informou que sua filha havia partido. "Minha linda guerreira perdeu a batalha esta manhã (...) Eu sou uma mãe muito orgulhosa, mas devastada agora. Durma bem, Gemma. Meu mundo nunca mais será o mesmo", desabafou Helen. Gemma cumpriu sua missão de ser mãe e deixou uma filha linda de 4 anos. 

Um mal que não faz distinção de pessoas

Assim como ela, muitas outras mulheres são vítimas dessa patologia impiedosa. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que mais de 32 milhões de pessoas vivem com câncer e cerca de 8,8 milhões morrem por causa dele. Entre elas, estão as gestantes.

Assim como acontece com não gestantes, o diagnóstico precoce na gravidez é uma grande vantagem na luta contra o câncer. Quanto mais cedo ele for detectado, maiores são as chances de cura. 

Porém, diagnosticá-lo em mulheres grávidas não é uma tarefa simples. Uma vez que várias partes do corpo mudam naturalmente ao longo da gestação, como os seios, fica mais difícil notar quando algo está errado. Além disso, no caso das gestantes, é preciso ter cuidados especiais com o feto e isso inclui a hora de fazer exames. Não utilizar radiação ionizante em ultrassom é um deles.

Foi por amor! Mãe que recusou tratamento contra o câncer para ter sua filha morre aos 29 anosFoi por amor! Mãe que recusou tratamento contra o câncer para ter sua filha morre aos 29 anosGoran Bogicevic / Shutterstock.com

Opções de tratamento para gestantes

Os médicos costumam combater a doença durante a gestação de forma a controlar ou diminuir o tumor até o nascimento do bebê. Durante os três meses, pelo menos, a quimioterapia deve ser evitada, pois, nesse período, as drogas podem colocar em risco a saúde do feto. Já a radioterapia, só deve ser utilizada no pós-parto devido aos efeitos colaterais. 

  • Câncer de mama: pode ser feito tratamento cirúrgico ainda na gravidez.
  • Câncer de ovário: também pode ser tratada com cirurgia.
  • Câncer de colo do útero: dependendo do caso, pode ser tratado durante ou após a gestação.

Foi por amor! Mãe que recusou tratamento contra o câncer para ter sua filha morre aos 29 anosFoi por amor! Mãe que recusou tratamento contra o câncer para ter sua filha morre aos 29 anosRossHelen / Shutterstock.com

A boa notícia é que, por mais assustador que seja o câncer, ainda mais durante uma gravidez, a medicina já evoluiu ao ponto de oferecer alternativas seguras desde o diagnóstico até o tratamento da doença. Esteja atenta aos sinais do seu corpo e faça exames regularmente. Essa também é uma demonstração de amor a você e ao seu bebê.

Fonte: OncoMarkers, People

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Enfermeiras inventaram uma cortina para facilitar o contato entre uma mãe que realiza uma cesárea e seu bebê!

Recomendamos