Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrasto

Muitas vezes, nos perguntamos o que leva uma pessoa a se envolver no mundo crime. Até agora, o que se sabe é que essa relação pode ter a ver com vários fatores, como a condição social, o ambiente em que o indivíduo está inserido e, também, sua relação com outras pessoas da família e amigos são apenas alguns deles. Jovens negros, que crescem em favelas e não têm muitas oportunidades, por exemplo, estão quase fadados a se tornarem traficantes de drogas. Mas, ainda assim, vez ou outra nos deparamos com o contrário, meninos de classe média alta, estudantes de escolas particulares que entram para esse universo.

Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastofizkes / Shutterstock

Esse é o caso de um jovem que não quis se identificar que contou ao portal The Fix sobre seu envolvimento com tráfico de drogas. Ele tinha apenas 14 anos quando começou a vender maconha. Na época, seus pais haviam acabado de se divorciar e ele fez amizade com garotos mais velhos que o incentivaram a entrar nesse mundo.

“[...] comecei a vender qualquer coisa para ganhar dinheiro. Primeiro algumas drogas com prescrição, alucinógenos e drogas de festa. Mais tarde, crack e heroína. Como meus hábitos de drogas mudaram para coisas ‘mais pesadas’ ao longo dos anos, me tornei essencialmente um traficante de subsistência”, disse.

O jovem ainda conta que foi seu próprio padrasto quem o iniciou nesse processo.

“Meu primeiro fornecedor foi o padrasto da minha namorada e ele era como uma figura paterna para mim. Ele me ensinou muito sobre ser um homem de caráter e integridade, sempre falando sobre 'princípios'. Coisas como 'não é sobre dinheiro, é sobre princípios'. Ele também me ensinou como boxear, atirar e limpar uma pistola, vender drogas e muito mais”, contou.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Psicólogo explica a natureza dos vícios e dá dicas para se proteger

Felizmente, quando percebeu que precisava sair desse mundo, ele lutou duramente contra o vício, passou por um tratamento e até criou uma ONG que ajuda pessoas com o vírus do HIV.

Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastor.classen / Shutterstock.com

A história dele ainda é diferente por um motivo: apesar de ter envolvimento com o tráfico, nunca foi pego pela polícia.

Em parte, jovens que se envolvem com o tráfico de drogas tendem a fazê-lo pela realidade em que vivem ou por pressão de amigos que já são usuários. Traficantes experientes também auxiliam nesse processo, pois muitos entregam drogas com facilidade para estudantes nos locais menos inesperados possíveis, como a escola.

É o caso de um homem que foi preso em Loulé, a menos de 50 metros de uma escola em que provavelmente venderia drogas para três estudantes. Claro que esse problema é seríssimo e necessita de toda atenção possível. Por isso, você precisa saber identificar os sinais de que alguém que conhece pode estar envolvido com o tráfico ou mesmo com o vício em drogas para ajudar.

Problema

De acordo com o Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (NIDA, em inglês), adolescentes de 12 e 13 anos podem começar a abusar de substâncias ilícitas. As principais são: inalantes, maconha, medicamentos vendidos sob prescrição médica e cigarros.

Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoDavid Smart / Shutterstock.com

Como já dito, isso pode acontecer por diversos fatores e pode começar, inclusive, com o vício em drogas legais, como o abuso de álcool, por exemplo.

Segundo especialistas, os efeitos do álcool em adolescentes, por exemplo, são bem diferentes dos que em adultos. Eles não sentem tanta sonolência ou dor de cabeça, mas podem apresentar sinais claros de que algo está errado, como irritação constante e hiperatividade. 

Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastolassedesignen / Shutterstock.com

Eles ainda alertam que a sensação que um adolescente tem ao provar uma droga ilícita é bem parecida com o prazer. Assim, é muito fácil que eles se tornem viciados em pouco tempo. Além de mudar o cérebro do usuário, as drogas podem causar uma série de outros problemas, alguns são:

  • Problemas de respiração;
  • Dores no estômago e náuseas;
  • Doença e até falência dos rins;
  • Problemas de fígado;
  • Veias colapsadas. 

Em condições mais avançadas, o usuário ainda pode contrair câncer, AIDS, doenças cardíacas e até hepatite. 

Acontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrastoAcontece nas melhores famílias: jovem de classe média vira traficante de drogas com incentivo do próprio padrasto

Como não se viciar? 

Quando os amigos fazem pressão ou a situação está difícil, encontrar um vício é ainda mais fácil. No entanto, existem alguns passos que podem ser tomados para que você evite esse problema. 

  1. Diga não: não importa quem o quê estão de oferecendo, se é ilegal, tem um motivo. Por isso, não tenha medo de dizer não; 
  2. Converse com seus pais ou amigos: ter alguém em quem confiar é essencial e compartilhar suas experiências e vivências; 
  3. Faça coisas que você ama: te um hobby pode ajudar muito a evitar que você crie um vício ou mesmo dar um impulso para que fuja da tentação de provar ou continuar usando drogas; 
  4. Se informe: quer saber como as drogas podem te fazer mal? Se informe, pesquise sobre o assunto;
  5. Peça ajuda: por último, mas não menos importante, se você já possui um vício e não sabe o que fazer, não tenha vergonha de pedir ajuda. Procure uma instituição especialista no seu vício ou converse com quem já passou pelo mesmo. 

Fonte: The Fix, Rehab Center, The Portugal News/ Facebook

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Vício nas drogas quase acabou com a vida de Rainer Rylker! Ex-vocalista recupera a confiança da família após tratamento!

Recomendamos