"Por favor, escutem o seu corpo": Mãe perde seu bebê por causa de negligência médica e faz alerta para outras grávidas

Muitas mulheres têm o sonho de ser mães, mas acabam encontrando muita dificuldade para conceber. Quando finalmente consegue engravidar, a alegria da futura mamãe é incomensurável e todos na família aguardam ansiosos pela chegada do bebê. Porém, nem sempre a gestação completa o seu ciclo.

Há casos, no entanto, que a tristeza da perda pode se misturar com um sentimento de revolta. Foi isso o que aconteceu com Kristy Watson, uma australiana que perdeu o seu bebê quando estava com 32 semanas de gestação, por causa de um episódio de pré-eclâmpsia não diagnosticado.

Com 20 anos, ela já havia sofrido 3 abortos, que foram extremamente dolorosos para a mulher que sonhava em ser mãe. Quando finalmente um bebê conseguiu se desenvolver no seu útero, ela não coube em si de tanta alegria.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Gravidez sem barrigão? Saiba mais sobre gravidez silenciosa e como esse fenômeno raro pode surpreender algumas mulheres

Grávida de um menino, Kristy não via a hora de poder segurar o pequeno Kaycen em seus braços. Entretanto, na 26ª semana, ela começou a apresentar certos sintomas, que a deixaram muito preocupada. Os inchaços em seu rosto, pés e mãos, além de uma terrível enxaqueca, fizeram a australiana ir correndo consultar o médico.

Apesar de ter contado todos esses sintomas para o médico, ele falou que eram coisas normais da gravidez e receitou apenas um analgésico para ela. Porém, ao entrar na 32ª semana, Kristy teve que voltar para a emergência do hospital, e foi finalmente diagnosticada com pré-eclâmpsia, mas já era tarde demais.

O bebê que ela esperava não resistiu e faleceu ainda na barriga de sua mãe. Kristy ficou sem chão e não conseguiu aceitar tamanha negligência dos médicos a respeito de seu verdadeiro problema. A doença quase custou também sua própria vida.

A australiana ficou indignada, pois simples exames, que os médicos não quiseram passar, poderiam ter salvado a vida de Kaycen. Ela ainda havia procurado uma segunda opinião médica, mas acabou sem um diagnóstico também.

Agora, ela quer alertar outras mulheres para que sigam seus instintos, e exijam ser examinadas se acharem que algo vai muito errado em seu organismo, mesmo contra a vontade do médico.“Por favor, escutem seus corpos”, é a mensagem que Kristy tenta repassar para outras mamães, evitando que elas passem pela mesma tragédia que assolou sua vida.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Alerta às mamães: como controlar a pressão durante a gravidez para evitar o risco de eclâmpsia