Vítima de estupro, escritora revela que chegou aos 262 kg c

Vítima de estupro, escritora revela que chegou aos 262 kg com medo de ser novamente alvo da violência

Inspiração

June 27, 2018 14:24 By Fabiosa

Roxane Gay é uma norte-americana escritora, professora, editora e ativista. Autora de best-sellers como “Má Feminista” e de outras obras de contos e romances, ela é hoje conhecida e valorizada pelo seu trabalho. Porém, a vida de Roxane foi marcada para sempre por um forte trauma sofrido na adolescência.


Roxane foi vítima de um estupro coletivo aos 12 anos. Um dos autores do crime era um rapaz que ela amava. Ele e seus amigos a estupraram em uma cabana abandonada em um bosque, onde ninguém pode escutar os gritos da jovem por socorro: “O passado está descrito no meu corpo. Carrego-o todos os dias”.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Mulher publicou uma última mensagem para sua família uma hora antes de pular de uma ponte para a morte

O trauma pesado na vida de Roxane dificilmente poderá ser superado por completo. Não se supera, mas se aprende a conviver. Mas o medo de Roxane foi tão grande que a única maneira que ela encontrou para sobreviver nessa condição foi se tornar, em suas próprias palavras, repulsiva. Queria que ninguém a desejasse e, por isso, ela usou a comida como sua rota de fuga.


Os quilos a mais serviram como uma muralha para o mundo, impedindo que a vissem no seu local finalmente seguro dentro de si mesma: “Pensei que, se o meu corpo se tornasse repulsivo, poderia manter os homens longe, seria mais desprezível, e já conhecia muito bem o seu desprezo”, desabafa Roxane.


O corpo de Roxane se tornou uma prisão tão forte que ela acabou precisando fazer uma cirurgia bariátrica para se livrar e salvar sua vida. Porém, ela acabou conseguindo superar as amarras e a vergonha de si mesma e enfrentou seus traumas: “Fui capaz de admitir que me amo, apesar do aborrecimento de suspeitar que não deveria me amar”.


Através do seu livro “Fome, Uma Autobiografia do (Meu) Corpo”, Roxane resolveu quebrar o seu silêncio e falar abertamente sobre o fantasma que tanto a atormentou. O seu objetivo: incentivar outras meninas a fazerem o mesmo.

Hoje, é sua mente, e não mais a comida, que controla sua vida. E ela voltou a se amar como nunca pensou que fosse possível novamente.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Alice Wegmann faz alerta sobre a cultura do estupro em seu Instagram e se irrita com comentário machista