Rir para não chorar: 7 projetos de lei totalmente absurdos que já foram criados por políticos!

Que o Brasil é um país um tanto quanto esquisito no que diz respeito a escolha de políticos, todo mundo já sabe. Até porque basta ligar por cinco minutos na TV Câmara ou mesmo assistir ao horário eleitoral gratuito para ver a maneira como aqueles que deviam ser representantes do povo levam tudo - na maior brincadeira.

Só que você provavelmente nunca parou para pesquisar sobre alguns projetos de lei bastante inusitados e incoerentes apresentados por deputados, prefeitos e outros parlamentares. Por isso, fizemos uma lista com 7 propostas totalmente absurdas que já circularam por aí:

Ensino Superior como uma competição

A gente até sabe que algumas competições são extremamente saudáveis e ajudam a formar o caráter do ser humano. Mas o deputado federal Luiz Carlos Hauly, do PSDB do Paraná, apresentou uma proposta para lá de esquisita!

Ele queria transformar o ensino superior em uma competição. Ou seja, só quem tinha as três melhores notas podia se formar. O restante, mesmo que estivesse na média, bombava. Complicado…

Funcionário público home office

É bem difícil ser funcionário público no Brasil. Até porque isso exige que você passe num concurso com vários outros concorrentes. Conseguindo o cargo, é provável que você trabalhe em alguma função que exija contato direto com o público.

Por isso, o projeto de lei criado pelo deputado federal Daniel Vilela (PMDB-GO) é esquisito a beça! Ele quer que funcionários públicos possam trabalhar no esquema home-office, ou seja, de casa. Ué.

Traidores pagam indenização

Dizem que muitas vezes políticos apresentam projetos baseados em vivências pessoais. E só pode ter sido isso que levou o deputado federal Pastor Franklin, do PTdoB, de Minas Gerais, a apresentar uma proposta que previa que cônjuges infiéis pagassem indenização. Dor de cotovelo, talvez?

Pais acima de 60 não pagam pensão!

O pagamento de pensão alimentícia nem sempre ocorre de maneira natural no Brasil. Algumas mães precisam acionar a justiça para garantir o direito dos filhos.

Agora, imagine que o pai da criança tem mais de 60 anos. Esse, segundo o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), é motivo mais do que suficiente para que não se pague pensão. É sério! Ele apresentou esse projeto de lei.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Pesquisa revela que brasileiros votariam em Ana Maria Braga, Neymar e Datena para Presidente do Brasil

Animais com nome de gente

Você por acaso tem um cachorro chamado Jorge? Ou uma gatinha chamada Sara? Pois se dependesse do deputado Pastor Reinaldo (PTB-RS) pagaria uma bela de uma multa!

É isso mesmo. Ele apresentou um projeto de lei que proibia nomear animais de estimação com nome de gente. Se descumprisse a lei, o cidadão teria que pagar multa e ainda prestar serviços comunitários. É mole?

Camisinha nunca mais

Imagine ser obrigada a ‘reproduzir’ e não ter direito de usar preservativo? Foi isso que o prefeito da cidade Bocaiuva do Sul (Paraná) tentou fazer em 1997.

Ele publicou um decreto proibindo a venda de camisinhas em qualquer comércio da cidade. Assim, as mulheres corriam risco de engravidar sempre que tinham relações.

O motivo disso tudo? População! A cidade tinha apenas 9 mil habitantes e o governo estava cortando recursos para a prefeitura. Felizmente, menos de 24 horas depois, o decreto estava revogado. 

Sem emenda em feriado 

Uma das poucas coisas que nos alegram é um feriado que cai bem na quinta ou na terça e acaba virando um feriadão, não é? Mas o deputado federal Marcelo Belinati (PP-PR) não muito disso, não. 

Ele até chegou a tentar apresentar um projeto de lei que transferia a comemoração de todos os feriados para seguda, assim, não teríamos mais emendas. 

Um absurdo total, não? Pois, é! É um alerta para ficarmos mais atentos na hora de escolher deputados, vereadores, prefeitos e presidentes.

Fonte: SuperInteressante, Acredite ou Não/ YouTube

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Como é que é? 6 políticos que já deram declarações bem incoerentes e foram massacrados!

Recomendamos