Professora carrega aluna de 10 anos nas costas por dois dias

INSPIRAÇÃO

Professora carrega aluna de 10 anos nas costas por dois dias seguidos e o motivo é de fazer chorar!

Date December 13, 2018 23:23

A Academy of Global Citizenship, uma escola de Ilinois, nos Estados Unidos, todos os anos organiza um evento que fica marcado para sempre na memória dos alunos.

As crianças da quarta série mal podiam segurar a ansiedade para o acontecimento do ano, menos Maggie, uma menina de dez anos que tem paralisia cerebral e não conseguiria fazer a trilha de dois dias na floresta para um acampamento, que fica a 40 quilômetros da escola.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Marcelo Melo Jr, o pedreiro "bem dotado" de “O Sétimo Guardião”, faz revelações picantes sobre experiências íntimas

A professora Helma Wardenaar conhece Maggi desde quando ela tinha um ano de idade. As duas tiveram uma conexão instantânea desde que se viram pela primeira vez. Quando a excursão começou a ser organizada, todo mundo saberia que haveria um desafio que seria encontrar uma maneira de levar Maggi.

A paralisia cerebral lhe afeta os músculos e por isso, Maggi não conseguiria acompanhar os amigos durante toda a caminhada, mas em nenhum momento a deixariam de lado.

A professora Helma e toda a equipe da escola analisavam a melhor maneira de levá-la, mas como o caminho era de trilha estreita e com encostas, a cadeira de rodas ou o andador não era a melhor opção.

Depois de conversar com profissionais de equipamentos esportivos, Helma conseguiu um suporte para levar Maggie nas costas e assim fez, sem medir esforços nem pensar no peso e no cansaço: “Vimos pássaros, sapos e veados”, lembra Helma. “Fomos capazes de fazer tudo o que seus colegas estavam fazendo, ela era uma de nós”, disse a professora.

Helma ficou emocionada com a força que a menina transmitia para a professora, que conversava e cantava para deixar o trajeto mais leve e a missão mais divertida: “Vamos, Srta. Helma, você consegue fazer isso”, dizia a menina quando via que a professora estava sem forças.

Essa história com certeza será lembrada com emoção por cada um dos 50 integrantes daquela excursão.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Após superar aborto espontâneo, Thaeme vibra com o ultrassom da bebê: “Nariz pequeno e arrebitado”