Turista que caiu do navio conta como a ioga e o canto a ajud

INSPIRAÇÃO

Turista que caiu do navio conta como a ioga e o canto a ajudaram a sobreviver 10 horas no mar

Date August 21, 2018 16:54

Para quem não sabe, o ditado popular "quem canta, seus males espanta" é garantido por muitos especialistas da área de saúde. De acordo com eles, o ato de cantar proporciona benefícios físicos e psicológicos, como o fortalecimento do sistema imunológico, a geração de harmonia psíquica e a melhora da concentração e da memória.

No caso da aeromoça britânica Kay Logstaff, o canto a ajudou não só a se desfazer das más sensações psicológicas, como o desespero, mas também serviu para espantar o frio, o que foi fundamental para que ela conseguisse resistir as 10 horas que passou sozinha no meio do mar antes de ser resgatada.

A turista de 46 anos estava no navio norueguês Norwegian Star, que navegava rumo a Veneza, quando caiu do sétimo deque da embarcação e ficou à deriva no Mar Adriático, a cerca de 100 Km do litoral da Croácia.

O incidente aconteceu no sábado (18), por volta da meia-noite (horário local). Dado o desaparecimento da passageira, o navio deu meia volta em direção à área onde ela teria caído e as autoridades competentes foram notificadas. Além de uma embarcação da Guarda Costeira da Croácia, um avião foi acionado para o esforço de resgate, o qual foi finalizado com sucesso no domingo de manhã.

O capitão do navio que a resgatou, Lovro Oreskovic, disse à imprensa local que foi um "milagre" que ela tenha sobrevivido e contou que Kay estava esgotada quando os socorristas a encontraram. 

"Não há dúvidas de que ela está em forma. Ela nos disse que pratica ioga, e que, enquanto flutuava no mar, cantava o tempo todo para que a temperatura do corpo não caísse e permanecesse acordada", disse o capitão.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Na vida real, como se parecem as populares modelos plus-size sem photoshop?

Kay foi levada a um hospital da cidade litorânea de Pula para receber alguns cuidados, mas não teve ferimentos graves e está bem. "Eu caí da popa do Norwegian Star e fiquei na água por dez horas. E então essas pessoas maravilhosas me resgataram", contou Kay em entrevista ao canal croata HRT, declarando-se extremamente sortuda por estar viva.

Ainda não se sabe exatamente o que causou a queda da mulher britânica e outros detalhes da sobrevivência surpreendente de Kay ainda estão surgindo, mas podemos listar algumas dicas do que fazer para permanecer vivo nesse tipo de situação baseado no que Kay fez durante as 10 horas em que ficou à deriva.

  • A ideia que ela teve de cantar para espantar o frio foi uma boa estratégia. Quando a temperatura do corpo cai, a pessoa fica cansada, confusa ou desorientada.
  • Além de ajudar a manter a temperatura do corpo, o canto ajudou Kay a não entrar em pânico. Tentar manter a calma e tomar a decisão de dizer a si mesmo "eu não vou morrer hoje" pode aumentar as chances de sobrevivência.
  • Em vez de ficar nadando, a aeromoça permaneceu flutuando. De acordo com o guia de técnicas de sobrevivência pessoal criado pelo BIM, um conselho irlandês de pesca marítima, a melhor maneira de diminuir a velocidade com que o seu corpo esfria é evitar nadar e tentar flutuar na água com os joelhos levantados até o peito.
  • Pode parecer estranho, mas roupas e calçados melhoram a flutuabilidade de uma pessoa durante as primeiras horas na água, porque prendem o ar. 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Este professor precisava de 20 dias de licença para fazer quimioterapia e foi surpreendido com uma ação dos seus colegas