Sem conseguir engravidar, casal que perdeu as pernas decide

INSPIRAÇÃO

Sem conseguir engravidar, casal que perdeu as pernas decide adotar crianças e realiza sonho: "A deficiência não impossibilita de ser mãe"

Date May 16, 2018 15:01

A história de Flávia e Sérgio é emocionante e cheia de desafios. Ambos com deficiência física, eles decidiram engravidar em 2015, mas não conseguiram. A boa notícia é que superar limites é uma das maiores habilidades desse casal de Piracicaba (SP).

Ela, praticante de esportes desde a infância, com 25 anos sofreu um acidente de moto, que resultou na amputação de sua perna esquerda. Porém, não desanimou e, em pouco tempo, já estava de volta à vida ativa, praticando basquete sobre as rodas. E foi nas quadras que ela conheceu seu futuro esposo, Sérgio, que também perdeu a perna esquerda depois de sofrer uma trombose quando ainda era criança. 

riopatuca / Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Depois de sofrer quatro abortos e sua bolsa estourar no início da gravidez, mãe salva bebê prematuro bebendo nove litros de água por dia

Em 2014, o casal oficializou a união e, um ano depois, surgiu o desejo de serem pais. Desde então, Flavia abriu mão das competições para se tornar mãe, mas demorou um tempo para que isso se tornasse realidade. Mesmo com a saúde em perfeitas condições, ela e o marido não conseguiam engravidar. 

Após um ano de tentativas, eles resolveram mudar a forma pela qual se tornariam pais: entraram na fila de adoção e, em 2017, foram chamados para conhecerem seus dois filhos, que têm idades entre 6 e 10 anos. “Eu queria filhos, não importava idade, raça, cor, nada”, afirmou Flavia. 

Ela explica que, apesar de ter receio quanto à criação de um bebê, por conta de sua deficiência, tem convicção de que criar um recém-nascido seria possível e prazeroso. “A deficiência dá limitações físicas ou mentais, mas não impossibilita de ser mãe”, declarou.

Quando recebeu a ligação do fórum, com o aviso de que poderiam se encontrar com as crianças, ela foi às lágrimas. “Eu falei ‘virei mãe’”, disse Flavia. Após o primeiro encontro, eles passaram três finais de semana saindo com os futuros filhos e então puderam, finalmente, recebê-los em casa.

Após essa trajetória de superações, o casal enfrenta agora um dos maiores desafios de suas vidas: o de educar as crianças. 

“Educar no mundo de hoje é difícil. Muita gente tentou me tirar esse sonho de ser mãe, mas eu tenho esperança em um mundo melhor e vou educar meus filhos para eles criarem esse mundo e poderem viver nele”, afirma Flavia, a qual revelou que ainda está aprendendo a ser mãe, ao mesmo tempo em que os pequenos também ainda estão se adaptando à realidade de terem pais. 

Africa Studio / Shutterstock.com

E nesse processo de adaptação, está também a possibilidade dos filhos, que são negros, de se depararem com questionamentos do tipo: "como que pode você ser negro e sua mãe branca?". Mas a resposta para isso, eles já sabem e foi a própria mãe quem ensinou. Com bom humor, Flavia disse para eles responderem: "grande coisa, minha mãe também não tem perna e eu tenho".

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: "Aos 35 anos, eu já me sentia uma pessoa doente": 3 conselhos de uma moça que em apenas dois anos emagreceu 100 kg