Homens negros presos injustamente nos Estados Unidos abrem m

INSPIRAÇÃO

Homens negros presos injustamente nos Estados Unidos abrem mão de indenização para ajudar outros jovens negros

Date 9 de maio de 2018

A cena parecia comum em uma Starbucks da Filadélfia, Estados Unidos. Dois homens sentados, esperando por alguém. Na verdade, a cena é muito comum, mas o desfecho desse dia foi diferente pelo simples fato de se tratarem de dois homens negros. Em poucos minutos, eles estavam algemados e sendo levados para a delegacia mais próxima.

As manifestações racistas preocupam em todo o mundo. Nos Estados Unidos, a situação chaga a sair de controle em alguns casos, como em manifestações e protestos. A brutalidade policial, quase sempre direcionada à jovens negros, é outro tema muito abordado pela sociedade americana. O caso de Donte Robinson e Rashon Nelson foi um dos mais recentes no país, mas ganhou grande repercussão.

Tudo começou quando os dois decidiram fazer uma reunião de negócios com um parceiro deles e escolheram a cafeteria para o encontro. Os dois entraram no estabelecimento e escolheram uma mesa para aguardar a chegada do parceiro de negócios. Por não terem consumido nenhum produto, o gerente da loja chamou a polícia e acusou os dois de invasão.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Após episódio de racismo que resultou na prisão de dois negros em uma loja da Starbucks, clientes organizam boicote à marca

A polícia então apareceu e levou os amigos algemados para a delegacia, onde passaram quase 8 horas até que a situação fosse esclarecida. Mas a ação foi filmada e postada nas redes sociais, onde viralizou. O caso acabou na justiça, e o desfecho surpreendeu ainda mais.

Os dois homens não pediram nenhum tipo de indenização sobre o caso, mas reivindicaram a criação de uma bolça de financiamento para jovens empreendedores durante o ensino médio. Desse valor, a quantia simbólica de $1 foi entregue a cada um dos homens.

 

Respect. 🇺🇸 . . . #RashonNelson #DonteRobinson #Starbucks #RacialProfiling #BlackLivesMatter

Uma publicação compartilhada por Daphne in Seattle (@daphneposh) em

Além de terem todos os custos universitários pagos pela empresa, o acordo firmado pelos jovens poderá ajudar outros jovens negros no futuro. A Starbucks também irá fechar mais de 8 mil lojas da rede no dia 29 de maio para que seus funcionários recebam um treinamento sobre o preconceito.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Após episódio de racismo que resultou na prisão de dois negros em uma loja da Starbucks, clientes organizam boicote à marca