Fotografa registra rotina de sua avó e nos mostra os cuidados que devemos ter com a memoria na velhice

Um lindo projeto de uma fotógrafa brasileira em retratar a rotina de sua avó idosa em uma série de fotos abre o debate para pensarmos acerca da saúde da memória conforme os anos passam.
 

 

Hoje eu finalizo a primeira fase do meu primeiro projeto documental. Há alguns dias acompanho minha “nona” de 95 anos, em Santa Catarina. Eu cresci na companhia dela, da minha madrinha e padrinho que cuidam dela com todo carinho. In/felizmente os anos passam (e muito rápido), ela envelheceu e esqueceu de praticamente tudo e todos. Além disso, há anos convive com um ca de pele (mas nesses dias percebi que ela se preocupa quase zero com ele). Por mais que sua memória não seja mais a mesma, dona Ermelinda vive rindo… Sim, as vezes rindo dela mesma. Um dia vou contar com detalhes tudo o que se passou no início desse projeto :) . . . Um agradecimento especial aos meus primos queridos @vanilairton, a madrinha Irma e o padrinho João, que me acolheram e me aguentaram por dias. Amo vcs! #algodobem #documentingwomen

Uma publicação compartilhada por Manu Rigoni (@manurigoni) em


Emanuelle Rigoni, de 30 anos, começou o projeto fotográfico em março de 2018, a fotógrafa, que vive em na cidade de Cuiabá, passou oito dias imersa na rotina de sua avó Armelinda, que mora no interior de Santa Catarina.
 
Durante este período de projeto foram registradas mais de 600 fotos e uma gravação de uma hora em vídeo. O intuito principal, é acabar com a crença de que a velhice é uma fase triste e mostrar a todos o quanto a vida pode ser divertida nesta idade.

Uma das dificuldades encontradas pela neta de dona Armelinda foi a memória fraca já debilitada da avó, ela conta que precisou repetir diversas vezes o que estava fazendo ali e que a idosa se sentiu acanhada nos primeiros dias, mas que depois entrou no clima descontraído da sessão de fotos.

O projeto da jovem serve como um alerta e inspiração, já que no brasil cerca de  7,1% dos idosos com mais de 65 anos possuem algum tipo de demência, destes, 55% dos casos são consequências do mal de Alzheimer.

Os fatores que influenciam a perda de memória na terceira idade podem ser muito além das doenças cerebrais. Há tantos outros como: ansiedade e depressão, isolamento e inatividade, medicamentos que podem interferir na atenção etc.

A memória é como um músculo. Ele enfraquece se não se cuida e se exercita, então a melhor coisa que pode ser feita é treiná-la,

Elaboramos aqui algumas das formas recomendadas por médicos para manter a saúde dos “Velhinhos” em dia 

Estimulação cognitiva

Consiste em trabalhar habilidades cognitivas como memória, cálculo, atenção, raciocínio através de exercícios escritos ou orais. Para manter essas habilidades em forma, devemos exercitá-las todos os dias. Atualmente é o principal tratamento para retardar, na medida do possível, a evolução da memória debilitada

Todos os idosos, mesmo que não tenham demência ou perda de memória, devem trabalhar nessas habilidades, seja através de exercícios de estimulação ou jogando novos games, aprendendo idiomas, tocando instrumentos, praticando esportes com a idade, o cérebro também perde capacidade

Atividades para exercitar a mente


Estar ativo e realizar uma série de atividades do que chamamos de ginástica cerebral é fundamental. Isso consiste em uma série de movimentos corporais simples, que ativam ou interconectam ambos os hemisférios do cérebro, alcançando condições ótimas para outras atividades e, assim, mantêm a mente ativa.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Depois de 55 anos, idosos se reencontram pelo Facebook e se casam

Esses movimentos e atividades ajudam a alcançar a comunicação entre o corpo e o cérebro, o que significa eliminar o estresse e as tensões do organismo, movendo a energia bloqueada e permitindo que a energia flua facilmente através do complexo mente-corpo.

Esses simples "desafios" ou exercícios podem variar de tomar banho de olhos fechados a tentar usar a mão oposta para realizar uma atividade, ler um texto em voz alta ou alterar rotinas e aprender coisas novas.

Rawpixel.com/ Shutterstock.com

Estudos mostraram que os programas de exercícios físicos melhoram o desempenho mental. Muitas vezes, trabalhos manuais ou outros passatempos criativos oferecem excelentes oportunidades para expandir seus conhecimentos e exercitar suas habilidades mentais.

Estímulos como sudoku, palavras cruzadas, jogos de palavras, xadrez ou outros exercícios mentais para manter a agilidade das células são ótimas opções.

wavebreakmedia/Shutterstock.com


Manter a saúde do corpo e mente equilibrados é um caminho para o sucesso em qualquer idade. Se você quer envelhecer bem não esqueça de seguir nossos conselhos e manter-se saudável sempre.

Fonte: Metro Jornal

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Saiba como prevenir acidentes com os idosos em casa fazendo pequenas mudanças


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.