5 dicas de como cuidar corretamente do umbigo do seu bebê

Saúde e Estilo de Vida

April 26, 2018 23:06 By Fabiosa

O bebê, antes de nascer, já tem um vínculo muito forte com a mãe através do cordão umbilical. É por ele que seu bebê ainda no seu ventre recebe oxigênio e nutrientes necessários para que ele cresça saudável. Depois do nascimento, o cordão é cortado cerca de três centímetros de distância da barriga do bebê e aquele “cotoquinho” que sobra, que geralmente fica preso por uma espécie de pregador chamado “clamp”, é o chamado coto umbilical.

Ermolaev Alexander / Shutterstock.com


O umbigo de um bebê se forma depois que o coto umbilical cicatriza e cai naturalmente. Mas para que esse processo ocorra de maneira saudável, é preciso que alguns cuidados sejam tomados, para que ele fique livre de infecções. Esses cuidados estão entre as maiores dúvidas das mamães de primeira viagem.

Ermolaev Alexander / Shutterstock.com


Confira agora algumas dicas valiosas que irão ensinar todas as mamães a terem os cuidados necessários para que seu bebê cresça bem e saudável.

1) Cuidados com o coto umbilical

O coto tem um aspecto gelatinoso e de cor branca-azulada. Antes de cair, o coto precisa ser cuidado para que ocorra a cicatrização da maneira correta, e ele fique gradativamente escuro e seco. É preciso higienizá-lo e a área ao redor cerca de quatro vezes ao dia. O primeiro passo é lavar bem as mãos com água e sabão antes de mexer no local, para evitar a entrada de bactérias por essa região tão sensível. Para limpar, utilize um cotonete ou algodão e álcool 70%. Espalhe cuidadosamente por toda a região do coto, sem necessidade de fazer curativos. E não precisa ter medo de causar dor ao bebê, pois ali não tem terminações nervosas. 

Também é importantíssimo deixar a região sempre seca. Depois de qualquer banho ou de trocar a fralda do bebê, seque bem o coto, pois caso fique úmido, será uma porta de entrada para bactérias se proliferarem. E lembre-se de não apertar as roupinhas do bebê na região do coto. 

Ermolaev Alexander / Shutterstock.com

 

2)    Sangramentos

É comum pequenos sangramentos na região antes ou após a queda do coto. Mas deve ser sempre removida com o mesmo procedimento de limpeza do local. Todavia, caso pareça pus ou secreções malcheirosas, talvez seja a hora de levar seu bebê ao pediatra.

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 8 dicas para ajudar o bebê na hora da desmama

3)    Queda e cicatrização

Normalmente, o coto leva 7 dias para cair, mas pode levar até 2 semanas. Se ultrapassar 3, é importante conversar com o médico. A cicatrização também demora cerca de uma semana. Algumas vezes, pode acontecer o chamado granuloma umbilical, que é uma cicatrização anômala. Nesses casos, demora cerca de 28 dias para finalizar o processo natural e pode ocorrer uma secreção incômoda ao bebê. O caso deve ser tratado com aplicações de nitrato de prata. Por isso, a região deve ser limpa e seca sempre com muito cuidado e sem pressa, para que tudo ocorra da maneira correta.

 

Com quantos dias de vida o umbigo do recém nascido deve cair? Muitas mães olham o coto umbilical com uma certa aflição. Aquele pedaço de substância meio gelatinosa, que com o passar dos dias vai ficando preta, presa no corpo do bebê que acabou de nascer e que, ainda por cima, de vez em quando fica com uma secreção escura, que precisa ser limpa… Só de olhar surgem as dúvidas e um certo receio de mexer. Mas vamos enxergar o coto umbilical com outros olhos. Vamos entender sua vital importância ao longo dos 9 meses de gestação. O umbigo possui duas artérias e uma veia, que levam todos os nutrientes e fatores que são essenciais para o crescimento do bebê como, por exemplo, oxigênio, vitaminas, proteínas, carboidratos, anticorpos…e tudo o que é necessário para formar os órgãos e sistemas do organismo completo de uma vida que começa. Depois do primeiro chorinho, quando o bebê nasce, o umbigo do recém nascido para de pulsar. Sua função está cumprida. Está na hora de ser cortado. Rompe-se, assim, a ligação umbilical com a mãe. O organismo do bebê, a partir deste momento, tem que dar conta de si mesmo. O oxigênio é providenciado pelo sistema respiratório e os nutrientes pela amamentação. O umbigo do recém nascido, agora sem função, vai secando e “murchando” – e por isso vai ficando preto – até que, depois de uma e no máximo em 3 semanas, desprende-se espontaneamente do corpo que ajudou a formar. Avise sempre o pediatra se o umbigo está com secreção mal cheirosa, ou com sangue vermelho vivo, ou se a pele ao redor estiver muito vermelha. Estes são os principais sinais de alerta. Ser vital em um dado momento e desprender-se, espontaneamente e sem conflitos, em outro momento, sabendo-se inútil. O cordão umbilical é um exemplo para a vida. Veja essa e outras dicas no livro Boas-vindas Bebê 1... #draanaescobar #boasvindasbebe #pediatria #cuidados #infancia #bebês #umbigobebê #umbigo #umbilical #cairumbigo

Uma publicação compartilhada por Dra Ana Escobar (@draanaescobar) em

4)    Umbigo inflamado

No caso de secreção purulenta (esbranquiçada), eritema (vermelhidão) ou edema (inchaço), pode ser um alerta de uma infecção. Nesses casos, nada de seguir a tradição de antigamente, que indicava tratar com urina e teia de aranha. O ideal é procurar ajuda médica.

5)    Umbigo estufado

Isso pode ser sinal de uma hérnia umbilical. A região é frágil e pode ser um lugar mais fácil de formação de hérnias quando o bebê faz força para chorar ou evacuar, e uma alça intestinal atravessa o tecido muscular. Normalmente ocorre mais em bebês com baixo peso. Ela costuma fechar por conta própria em aproximadamente 18 meses. Se não desaparecer espontaneamente, pode ser corrigida por cirurgia. Também pode ocorrer o chamado umbigo cutâneo, que é quando a pele do abdômen se prolonga por cerca de 1 a 2 centímetros, cobrindo o início do coto, mas também é nada para se preocupar.

Os cuidados com o umbigo do seu bebê são essenciais para que o pequeno fique livre de infecções, já que o local é um prato cheio para entrada de bactérias. Lembre-se que o seu bebê ainda é muito frágil e que precisa de toda sua ajuda e cuidado para que ele cresça saudável. Nada que muito amor e atenção não resolvam.

Fonte: Minha Vida, GNT, Abril

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Milagre faz com que nó no cordão umbilical não acabe com a vida de um bebê


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.