“Os filhos da pílula”! Post do Facebook bomba de curtidas e comentários de mulheres que engravidaram mesmo com toda prevenção

Saúde e Estilo de Vida

June 26, 2018 13:57 By Fabiosa

Um post publicado no Facebook vêm gerando medo por mostrar a quantidade de mulheres que engravidam mesmo se preservando direitinho.  Na publicação, a internauta Júlia Rocha pergunta: "Levanta a mão quem engravidou mesmo se prevenindo direitinho! Vale camisinha, DIU, pílula, injeção, “cirurgia das trompas”, parceiro vasectomizado".

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Gravidez promove mudanças nos pés das mulheres

Talvez nem ela soubesse que tantas mulheres responderiam contando suas experiências de gravidez, algumas utilizando até dois métodos contraceptivos. Foram mais de 17 mil comentários, 12 mi curtidas e mais de 21 mil compartilhamentos. Confira a repercussão:

A primeira pílula anticoncepcional foi lançada em 1960 e representou um marco para as mulheres, dando-lhes a liberdade de programar o momento certo de terem filhos ou simplesmente optarem por não tê-los.

Desde então, os contraceptivos hormonais vêm sendo largamente utilizados pela maioria das mulheres.

Existem diferentes tipos e marcas, mas os mais utilizados pelas mulheres atualmente são os anticoncepcionais via oral, tomados diariamente e com um nível de eficácia de 98%.

Mesmo assim, ainda existem os 2% das mulheres que engravidam tomando o anticoncepcional. Não é raro ouvirmos histórias dos chamados “filhos da pílula”. Entenda o que pode gerar a “falha” na eficiência do anticoncepcional:

- Antibióticos: alguns antibióticos podem reduzir o efeito da pílula anticoncepcional, por isso é importante utilizar algum outro método complementar, como preservativos, durante qualquer tratamento com anticoncepcional.

- Esquecimento: os anticoncepcionais geralmente têm sua eficiência maior quando tomados diariamente. O esquecimento, principalmente no início do período, pode oferecer riscos.

- Tomar em horários diferentes: os anticoncepcionais geralmente têm um período de tolerância, mas se eles forem tomados com uma diferença muito grande de horário podem perder o efeito.

- Diarreia: se a pessoa tiver diarreia nas primeiras horas após ter tomado a pílula, ela pode perder sua eficácia.

- Vômito: se a mulher tomar a pílula e pouco tempo depois tiver vômitos, o ideal é utilizar outro método contraceptivo complementar, pois pode perder a eficácia.

- Pessoas que realizaram cirurgia bariátrica: que fez redução de estômago geralmente recebe orientação para utilizar outro tipo de método contraceptivo, porque a pílula pode não ser absorvida adequadamente.

- Mudança de pílula ou de método contraceptivo: o organismo leva até 3 meses para se adaptar à pílula, portanto, diante de qualquer mudança, utilize sempre algum método contraceptivo complementar.

Em menor ou maior grau, todos os métodos contraceptivos apresentam algum tipo de risco de falha. Por isso, é sempre importante se informar a respeito.

Fonte: Baby Center

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Pesquisa comprova que a gravidez altera o cérebro da mulher


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.