Conhece alguém que baba muito, principalmente quando dorme? Entenda a sialorreia e saiba precisamos ter cuidado

Poucos sabem mas babar em excesso é considerado uma doença que já tem nome e é na verdade muito mais comum do que se pensa.

Antonio Guillem/Shutterstock.com


Para se ter ideia, o ser humano produz cerca de dois litros de saliva por dia. Ela é responsável por umedecer e limpar a boca, lubrificando os alimentos e combatendo possíveis bactérias, além de facilitar a mastigação e ajudar na digestão da comida. Já babar durante o sono é extremamente normal.

Especialistas afirmam que durante o sono, nossos músculos relaxam, com isso, a boca tende a ficar aberta e se você estiver deitado de lado, a saliva vai vazar.

Problemas como sinusite ou alergias, que fazem a pessoa ter tendências a respirar pela boca, aumentam as chances dela babar durante o sono. Mas não se engane, a salivação excessiva é caracterizada como uma patologia. 

 

lightwavemedia/Shutterstock.com

 

A sialorreia, também conhecida como ptialismo ou hipersalivação, é um distúrbio que faz com que o corpo humano produza saliva em excesso, gerando grande desconforto bucal naqueles que sofrem deste mal.

Sialorreia é causada principalmente por uma falha no sistema nervoso parassimpático, que é responsável por controlar todas as nossas respostas, estímulos e atos involuntários. Ele igualmente produz e restabelece a energia do nosso corpo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Sensibilidade a mudanças climáticas: doença ou autossugestão?

O problema também pode ser causada por uma infecção ou doença que está ocorrendo no trato gastrointestinal, descartando completamente que é uma anomalia presente nas glândulas que produzem o líquido que mantém a cavidade oral do corpo humano lubrificada. Ou seja, a doença pode ser gerada de outras formas que não seja somente na boca.

Comumente, quando vemos uma pessoa excretando uma grande quantidade de saliva, dizemos que ele está babando, no entanto, pode ser um problema sério.

A baba sialorréica também pode ser um sintoma de um agente externo que está afetando o corpo humano. Drogas, infecções, envenenamentos com mercúrio, inseticidas, entre outros são exemplo.

Pacientes diagnosticados com doenças cerebrais, como paralisia do corpo, doença de Alzheimer, não têm a capacidade de controlar o fluxo de saliva, o que causa a sialorreia.

A enfermidade pode ser comum em crianças, porque elas tendem a colocar as coisas na boca com frequência, o que pode causar algum desconforto nas gengivas e nas próprias glândulas, a aparência de novos dentes também podem automaticamente causar um excesso de saliva na boca dos pequenos.

Poomsak suwannasilp/Shutterstock.com

 

 Os efeitos colaterais da sialorreia, além de estética e higiene, pode ser traduzido como desidratação e problemas de pele ao redor dos lábios, mau hálito, irritação da gengiva, e amarelamento dos dentes.

O tratamento mais indicado nestes casos, após ser diagnosticada a causa, é tomar medicação que ajude a reduzir a salivação na boca, em cirurgias também podem ser removidos glândulas que produzem a saliva, mas se o distúrbio diminui, esse procedimento pode representar um problema médico adicional. 

Há também pessoas que se comportam na vida adulta com sialorreia sem ter a patologia. Nestes casos, o indicado é recorrer à terapia psicológica para diminuir a sensação de que é necessário um excesso de saliva.

Caso sinta alguns dos sintomas dito neste texto, consulte um médico de sua confiança para o diagnostico correto de qualquer possivel enfermidade
 

Fonte: Terra

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Doença de Crohn: quais são os sintomas e como evitar que a doença piores


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.