Aprenda a identificar e lidar com a chamada “diarreia explosiva”

O assunto pode parecer desagradável, mas é muito importante conhecer as causas e sintomas da chamada “diarreia explosiva”. Também conhecida como “aguda” ou “severa”, ela pode ter origens diferentes e precisa ser tratada rapidamente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a diarreia é definida por uma quantidade maior que três evacuações líquidas de fezes ao lingo de um único dia. Mas algumas pessoas podem apresentar níveis diferentes de diarreia.

kwanchai.c / Shutterstock.com

Durante o processo natural de digestão, o intestino grosso absorve a maior parte dos líquidos presentes no bolo fecal. Quando o indivíduo está com diarreia, o processo é acelerado, impedindo que o intestino realize corretamente suas funções. Conheça agora as causas mais comuns da diarreia.

sasha2109 / Shutterstock.com

Rotavírus

A infecção por rotavírus é a maior causa de diarreia em crianças entre 6 meses e 2 anos. O contágio ocorre através das fezes. O vírus é capaz de sobreviver longos períodos fora do corpo do hospedeiro, facilitando ainda mais sua proliferação.

Sintomas: Diarréia, vômito e febre são os principais sintomas, mas algumas pessoas podem apresentar problemas respiratórios, coriza e tosse.

hxdbzxy / Shutterstock.com

Shigella

A bactéria é responsável por outro tipo de infecção causadora da diarreia. A forma mais comum de infecção por Shigella acontece por meio de alimentos ou água contaminados. A bactéria se instala no intestino, provocando a diarreia por cerca de 7 dias. Em crianças, a infecção pode ser ainda mais grave, provocando convulsões.

E. Coli

A bactéria E. coli é a maior causa de diarreia entre adultos. Ela vive no intestino humano sem causar problemas, mas seu desequilíbrio pode provocar infecções gastrointestinais e afetar até mesmo o trato urinário. O contágio ocorre através de água e alimentos.

Kateryna Kon / Shutterstock.com

Parasitas

Além da infecção por vírus, também existem casos de diarreia provocados por parasitas. Os dois tipos mais comuns são o Entamoeba histolytica e Giardia lamblia. A primeira é uma das infecções que mais se espalha no mundo, segundo a OMS. A segunda também é causadora de diarreia, mas sempre com menor intensidade. Ambos possuem a mesma forma de contágio, o contato direto ou indireto com as fezes de uma pessoa contaminada.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Dicas que te salvarão de sofrer terríveis e vergonhosos acidentes quando você estiver sofrendo com diarreia

Medicamentos

Alguns remédios podem desencadear a diarreia como efeito colateral de sua ação no organismo, como antibióticos, remédios para azia, medicamentos quimioterápicos e outros remédios que contenham magnésio. Os efeitos são leves na maioria dos casos, mas podem ser graves em algumas pessoas.

Poznyakov / Shutterstock.com

Doenças

Algumas doenças afetam o sistema digestivo, provocando constantes crises de diarreia no paciente. Os casos mais comuns são encontrados em pacientes com doença de Crohn, a síndrome do intestino irritável, retocolite ulcerativa, pancreatite crônica, hepatite, doença celíaca e a indesejável diarreia do viajante, além de outras alergias alimentares.

Emily frost / Shutterstock.com

Prevenção

A prevenção da diarreia é mais simples do que parece. Basta manter a higiene adequada. O habito de lavar as mãos deve ser uma coisa comum na vida de qualquer pessoa, principalmente ao usar o banheiro, manusear fraudas ou preparar alimentos. Ao viajar para países com baixos índices de saneamento, procure beber somente água filtrada e prefira os alimentos muito bem cozidos.

Quando devemos procurar ajuda médica?

A diarreia nem sempre significa alguma coisa grave. Mas alguns casos representam riscos e devem ser acompanhados por profissionais. Se a pessoa evacuar mais de 6 vezes no mesmo dia, tiver sinais de sangramento nas fezes, dores no abdome ou no reto, febre alta (maior que 38,5 °C), é importante procurar ajuda médica.

O tratamento inicial pode ser feito com a ingestão de bastante água, bebidas isotônicas, frutas, legumes e verduras bem cozidos. Em caso de desidratação, a água de coco e o soro caseiro são as melhores alternativas.

Quase sempre podemos resolver o problema sem ajuda médica, apenas bebendo bastante água e repousando. Mas não deixe de procurar um profissional assim que perceber os sintomas mais graves.

Fonte: Medical News Today, eHow, Tua Saúde

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 10 possíveis motivos para a sua dor de barriga