Consultora de imagem e estilo revela que teve que passar doi

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Consultora de imagem e estilo revela que teve que passar dois anos sem entrar em shopping para curar compulsão por compras

Date May 18, 2018 13:57

Vivian Cardinali é consultora de imagem e estilo pessoal. Hoje ela ganha a vida orientando pessoas na escolha de roupas que combinem com elas. A profissional de 34 anos tem como um dos objetivos em sua consultoria, impedir que as pessoas façam escolhas somente pelo impulso, mas a verdade é que ela já esteve do outro lado da história.

Em entrevista, Vivian contou que passou por problemas diferentes na vida relacionados com sua compulsão.

 

Recebi assim: Vivi, existe diferença entre compulsão por compras e consumismo? 🤔 Sim. A compulsão é uma doença, que precisa ser controlada. Muitos psiquiatras defendem que ela não tem cura, mas controle. Se você já acorda pensando no que vai comprar, é apaixonado pela adrenalina que essa compra traz, esconde de si mesmo o que comprou, nem abre a sacola dos itens que comprou, não pode ver uma promoção, fique atento! E esses são apenas o mínimo do que o comprador compulsivo apresenta. Geralmente, são pessoas que não conseguem controlar seus impulsos. Elas compram, compram e compram. Mas também não aceitam que estão compulsivas. Já o consumismo, na minha opinião, é um bichinho danado que anda solto por aí na nossa sociedade moderna. Estímulos demais, como propaganda em excesso, redes sociais e a total despreocupação com o nosso planeta estão deixando a gente um tanto descontrolados com isso. Mas e aí, o que fazer? Aprender mais sobre o assunto ajuda a refletir sobre a questão do consumo. ❗Quando você conhece o mercado têxtil, o processo de desenvolvimento de uma roupa, a diferença entre os tipos de tecido e tudo que acontece para uma peça chegar até você, sua postura melhora. Tudo é uma questão de consciência. Tem Netflix em casa? Coloca nas suas recomendações para assistir o documentário The True Cost. Ele vai te mostrar a cruel realidade que ninguém mostra. @caiobraga . #EstilocomPropósito #Autoconhecimento #Comunicaçãopessoal #thetruecost

Uma publicação compartilhada por Consultora de Imagem e Estilo (@vivicardinali) em

Eu fui uma criança gordinha, porque comia demais. Ali já era o início da minha compulsão. Na minha adolescência, porém, decidi emagrecer. Mas, como eu já tinha comportamentos excessivos, quando passei a comer menos fui para o outro extremo e quase fiquei anoréxica”, disse a consultora, que superou a fase, mas acabou caindo em outro tipo de compulsão.

Aos 19 anos, já com a própria renda, ela já havia melhorado a relação com seu corpo, mas percebeu que estava só mudando o foco da compulsão para as compras.

 

ALERTA (1 de 3) : será que sua imagem reflete quem você é de verdade ou a imagem que os outros querem ter de você? Muitas vezes somos pressionados por ‘padrões’. Padrões no trabalho, padrões na família, padrões sociais...Acontece com todo mundo. Mas ó, dica amiga: pegue todos esses padrões e jogue no lixo. Não há liberdade maior do que ser quem você é, ter o estilo que você quer e se olhar no espelho e se sentir linda por saber que você fez a SUA escolha. E não a escolha DO OUTRO. Entendeu a diferença? Quer saber como anda sua relação com a sua imagem e com seu guarda-roupa? Vai ter workshop em Maceió dia 28/04! É dia 03/05. Link na bio @caiobraga . . . #EstilocomPropósito #ComunicaçãoPessoal #Autoconhecimento

Uma publicação compartilhada por Consultora de Imagem e Estilo (@vivicardinali) em

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 3 passos para vencer a compulsão alimentar

Eu sentia uma euforia muito grande antes e durante a compra. Mas depois, vinha o peso na consciência”, disse ela, lembrando da sensação parecida que tinha quando a compulsão era por comida.

Vivian disse que não percebeu o problema mesmo com os avisos de amigos e familiares. O problema não parecia afetar sua vida enquanto as contas estavam indo bem. Mas chegou um momento em que ela perdeu o controle das finanças por conta da compulsão.

Ela chegava a gastar mais de R$8 mil em compras por mês, um valor muito maior que o salário que recebia. Por trabalhar em um banco, ela chegou a ter vários cartões de crédito, o que gerou dívidas cada vez maiores.

 

Uma publicação compartilhada por Consultora de Imagem e Estilo (@vivicardinali) em

Vivian chegou a pagar R$60 mil em um único empréstimo para conseguir quitar dívidas de cartão de crédito. Foi por tudo isso que ela percebeu a gravidade da situação e resolveu mudar de vida.

Ela iniciou um tratamento que envolveu ficar longe de shoppings por dois anos. A terapia durou 6 anos, mas ela afirma que o controle total só veio quinto ano do tratamento. Hoje ela afirma que ainda precisa se controlar para não cometer excessos. Durante o tratamento, Vivian vendeu boa parte das roupas que tinha e fez acordos para quitar as dívidas.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Oniomania: o transtorno da compulsão por compras