Senhora de 69 anos que perdeu seio por conta de um câncer s

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Senhora de 69 anos que perdeu seio por conta de um câncer se reergue após fazer tatuagem de sutiã inspiradora

Date 14 de maio de 2018

Uma tatuagem é uma forma de expressão totalmente pessoal, que pode ou não ter significados. Geralmente existe uma simbologia que faz muito sentido para que possui o desenho marcado no corpo. Para uma inglesa que enfrentou uma grande batalha contra o câncer, a tatuagem mudou sua autoestima.

Em 2011, Linda Bright, uma inglesa de 69 anos, recebeu uma notícia que ninguém gostaria de receber. Ela havia sido diagnosticada com o segundo tipo mais comum de câncer em todo o mundo, o de mama. Depois de uma série de tentativas de outros tratamentos, a solução para o caso dela foi a mastectomia em 2013.

A cirurgia de retirada da mama esquerda deixou Linda devastada. Segundo o médico, ela não poderia fazer implantes mamários imediatamente, por conta da cicatriz deixada pela cirurgia. Mas ele disse que existia a possibilidade de fazer uma reconstrução utilizando tecido retirado da barriga da paciente.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Esse truque pode ajudar a prevenir o câncer de mama

Eu simplesmente odiava o meu corpo como estava”, disse Linda sobre o período em que não deixava nem mesmo o seu marido ver seu corpo. “Não queria que ele visse isso, apesar de estarmos casados há 48 anos”, disse ela. Mas a situação começou a mudar quando Linda viu algumas imagens na internet em 2016. As fotos eram de uma americana que também havia enfrentado os mesmos problemas que Linda, e fez uma tatuagem em forma de sutiã no locar.

Linda mostrou a ideia para o marido, que logo apoiou a ideia da esposa. “Se é isso o que você quer, vá em frente”, disse o marido. Ela então decidiu fazer a tatuagem. O procedimento demorou cerca de 9 horas, mas foi responsável por uma mudança na vida da sobrevivente.

Agora, sete anos após ter sido diagnosticada, Linda aguarda os resultados dos exames que podem apontar se ela está totalmente curada da doença.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Câncer de mama: estatísticas, sintomas e maneiras que podem ajudar a reduzir o risco de contrair a doença