Parto prematuro pode ser evitado com progesterona

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Parto prematuro pode ser evitado com progesterona

Date April 12, 2018 16:06

Cerca de 10% dos bebês, nascem de parto prematuro segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), dados que chegam a assustar as gestantes. Mas, um artigo publicado pelo American Journal of Obstetrics & Gynecology revelou que o uso da progesterona vaginal faz o risco de prematuridade cair. Principalmente em mulheres com colo de útero curto.

A queda de produção da progesterona é uma das causas para a prematuridade. Este hormônio, naturalmente produzido pelo ovário, é essencial para o equilíbrio do ciclo ovariano durante a gestação.

gettyimages

A queda na produção acaba influenciando no tempo em que o bebê passa na barriga. Com isso, os médicos investigaram as causas desse declínio na fabricação do hormônio e, junto a isso, fizeram uma administração de progesterona vaginal e perceberam que reduziu a taxa de prematuros. Eles ainda perceberam que os efeitos deste procedimento são positivos em vários fatores.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 5 coisas que acontecem com a vagina após o parto

Segundo o levantamento, a utilização do hormônio, reduziu a taxa de prematuridade em nascimentos a partir da 28º semana, além de diminuir a frequência de complicações neonatais e o número de bebês com peso inferior a 1.500 gramas.

Mas os pesquisadores alertam, que a progesterona vaginal só pode ser utilizada com a indicação de um obstetra e com um determinada dosagem. Além disso, casos de colo de útero curto devem ser identificada no exame ultrassonográfico, do segundo trimestre de gestação.

Os benefícios vão além da saúde da mamãe e do bebê, a administração do hormônio tem um impacto positivo no custo do sistema de saúde, caindo em até 500 milhões dólares por ano, em economia, somente nos Estados Unidos.

gettyimages

Quais as causas do parto prematuro?

Prematuridade é quando ocorre até três semanas antes da data prevista. Ele pode acontecer por diversos fatores como a condição de saúde da mãe ou do bebê, a idade da gestante, malformações do feto, anomalias no útero, a não realização do pré-natal, fumo, uso de drogas e álcool, estresse emocional, bem como eclampsia e gestação de múltiplos.

gettyimages

Para prevenir este fator, o pré-natal é um meio importante, pois direciona a gestante nos caminhos da gravidez. O acompanhamento evita muitas doenças e a detecção de alguns males que acostumam aparecer durante a espera do bebê.

No entanto, a gestante pode tomar alguns cuidados pessoais para se prevenir. Um dica é se hidratar bastante, sempre importante beber muita água para que não falte para o feto e a deficiência de água no corpo, ajuda a provocar contrações, fator que pode adiantar o parto.

Olesia Bilkei / Shutterstock.com

Verificar as medidas do colo do útero também é um modo de prevenir o prato prematuro. Ele tem que ter medidas certas para cada fase da gestação como: entre 16 e 20 semanas (de 4 a 4,5cm), de 24 a 28 semanas (de 3,5 a 4cm) e de 32 e 36 semanas (de 3 a 3,5cm).

Outro modo de evitar a prematuridade é procurar a se alimentar bem, fazer uma dieta recomendada pelo nutricionista e praticar atividades físicas de forma leve.

Por fim, alguns sintomas que indicam que está prestes a entrar em trabalho de parto, é ter mais que cinco contrações em um período de uma hora, sangramento vaginal, inchaço de mãos e rosto, incômodo para urinar, vômito frequente, dor na região lombar e pressão na região pélvica.

O importante neste momento é de ao descobrir a gravidez, começar um acompanhamento médico, que ele indicará o melhor caminho durante a gestação. Em caso de complicações ele saberá o que fazer no memento de crises.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Gestação após abdominoplastia pode gerar complicações no desenvolvimento do bebê e no parto

Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.