8 curiosidades que ninguém nunca te contou sobre a gravidez

CELEBRIDADES

8 curiosidades que ninguém nunca te contou sobre a gravidez

Date 11 de abril de 2018

Mesmo que seja um dos eventos mais incríveis da vida humana, a gestação de um bebê acaba sendo vista como algo corriqueiro, uma vez que acontece com frequência. Muita coisa que faz parte do universo da maternidade já foi desvendada e é amplamente ensinada àqueles que se preparam para o momento mágico do nascimento.

Porém, na verdade, a gravidez ainda é uma caixinha de surpresas. Há algumas curiosidades que não são tão conhecidas assim e podem surpreender até os papais mais experientes. Você pode até já ter desconfiado de algumas delas, mas outras te deixarão de queixo caído. Confira a seguir:

1. Pele de pêssego? Nem sempre!

Muitas mulheres chegam a ouvir que ficarão com a “pele ótima” quando engravidarem, mas isso nem sempre acontece. Algumas ficam, sim, com a pele lisinha e mais iluminada, mas outras podem desenvolver manchas escuras ou, no caso daquelas com tendência à oleosidade, podem surgir algumas espinhas. Tudo isso por culpa deles, claro: os hormônios.

Caso você já tenha uma pele oleosa, é preciso ter um cuidado maior. Lave o rosto três vezes ao dia com sabonete neutro. E em todos os casos, é muito importante precaver-se quanto à exposição solar, fazendo uso do protetor.

2. Barriga pra lá de interativa

George Rudy / Shutterstock.com

Todo mundo já ouviu falar da emoção de sentir a barriga mexer pela primeira vez, mas nem todos param para pensar que, além de ouvirem o que se passa dentro e fora do útero e reagirem à voz do pai com chutes, os bebês também soluçam e isso também é possível de perceber pela mãe.

Aquela de coração mais mole pode até sentir uma afliçãozinha com os soluços do filhote, mas a sensação é emocionante e inesquecível.

3. Os bebês abrem os olhos dentro do útero e podem ver a luz do lado de fora

Seguindo a linha “o que se passa dentro da barriga”, vale contar também que os pequenos podem perceber a luz de fora a partir, mais ou menos, da décima sexta semana. Nesse estágio, seus olhinhos ainda não estão totalmente formados, mas entre as semanas 26 e 28, eles abrem os olhos pela primeira vez.

O que eles tem é uma visão obscura, mas ainda assim, conseguem ver fontes de luz como o sol ou uma lanterna apontada para a barrigada da mãe.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 4 sinais da gravidez que são escondidos

4. Sexo na gravidez: pode!

Para quem acha que não, estamos aqui prontos a esclarecer esse mito. Ao contrário do que é pensado por muitos pais, o sexo durante a gravidez não causa desconforto no bebê.

Desde que não haja nenhuma prescrição médica específica, o sexo está liberado. Inclusive, nas gestações saudáveis, ter relação sexual no final da gravidez pode até ajudar a mulher a entrar em trabalho de parto.

5. A alimentação da mãe influencia as futuras preferências alimentares do bebê

Yarkovoy / Shutterstock.com

Por volta da semana 11, o pequeno já começa a desenvolver papilas gustativas, o que permite que ele prove tudo o que a mãe come, ao receber as moléculas de sabor dos alimentos que passam do sangue dela para o líquido amniótico. Acredita-se até que eles sentem o cheiro da comida.

Levando isso em consideração, muitos estudos mostram que as preferências e aversões alimentares do bebê começam desde o útero, sob influência da mãe. Se ela evita certos alimentos, provavelmente, ele também evitará. E isso continua depois do nascimento, já que as moléculos de sabor são passadas por meio do leite materno.

Barrigudinhas de plantão, invistam na alimentação saudável!

6. Os bebês bebem e nadam em seu próprio xixi

Eles começam a fazer xixi no saco amniótico em torno da oitava semana e podem beber essa mistura de urina e líquido amniótico a partir da semana 10. Na vigésima semana, quase tudo o que eles bebem é xixi.

7. Quanto mais apoio social a mãe tem, mais saudável o bebê tende a ser

wavebreakmedia / Shutterstock.com

Essa relação ainda não é compreendida com perfeição, mas sabe-se que, à medida que as mães recebem um apoio confiável, elas sofrem menos de estresse e tendem a viver melhor, o que também beneficia o bebê.

8. Os bebês choram dentro do útero

Pesquisadores descobriram isso por acaso, quando estudavam o caso de mães usárias de cigarro e cocaína. Depois que colocaram um som para tocar nas barrigas das grávidas, os vídeos de ultrassom revelaram que os bebês ficaram assustados, ofegantes e abrindo a boca. Veja:

Por fim, vale destacar que o mais surpreendente de toda essa experiência é o amor que se tem por um filho. É algo inexplicável e faz todo desconforto e enjoo valer à pena.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Trabalho suado! Mulheres que se exercitam durante a gravidez têm trabalho de parto mais curto e fácil


O material deste artigo é destinado apenas a fins informativos e não substitui o conselho de um especialista devidamente habilitado.