Os jardins perdidos de Heligan foram restaurados após muitos anos

INSPIRAÇÃO

Os jardins perdidos de Heligan foram restaurados após muitos anos

Date December 15, 2017 13:18

Os jardins perdidos de Heligan, localizados em Cornwall, hoje pode ser considerado o local mais pitoresco da Grã-Bretanha e sem exagero o jardim botânico mais famoso do Reino Unido.

Há muitos anos, o jardim foi dividido em territórios de uma mansão, por mais de 4 séculos, pertencente aos membros da família Tremayne, aristocratas britânicos. No final do século 19, a economia da Inglaterra crescia rápido, e eram trazidos de inúmeras colônias não apenas conhecimento e mão de obra, mas também representantes da flora e fauna.

Durante décadas, os jardins de Heligan permaneceram abandonados até que, em 1992, foram abertos para visitação. Por sinal, a palavra "heligan", em sua raiz, pode ser traduzida como "salgueiro".

Até a primeira guerra mundial, o jardim botânico tinha 22 jardineiros trabalhando, entretanto, em 1916, sobraram apenas 8, os demais foram para o fronte e nunca mais voltaram. Jack Tremayne, dono do jardim, decidiu migrar para a Itália depois da guerra, alugando suas propriedades. Ao longo do século 20, a beleza incomum da mansão e dos jardins teve diferentes proprietários e, durante a Segunda Guerra Mundial, o território da propriedade chegou a ser usado até mesmo pelo Exército dos EUA.

Nos anos 70, a mansão foi fragmentada para venda e os jardins, sem receberem os cuidados necessários, passaram a se deteriorar e ficaram sob a ameaça de completa destruição.

Após a morte de Jack Tremaine, a casa passou a ser administrada por um fundo fiduciário, mantido por vários membros de sua família. Entretanto, o arquiteto Tim Smith, apaixonado por artes em parques, ao ver o território da mansão, imediatamente teve o desejo de devolver ao local a sua grandeza e beleza anterior.

Com o apoio de amigos e voluntários, Smith começou a trabalhar e depois de um tempo apresentou ao público os resultados do seu árduo trabalho. Os jardins de Heligan adquiriram uma aparência completamente nova e única e se transformaram em um milagre da natureza feito pelo homem.

Hoje, o jardim botânico que conta com mais de quatro quilômetros quadrados inclui várias estufas. Na área das estufas crescem belezas surpreendentes na forma de árvores e plantas exóticas. Além disso, nos jardins de Heligan há muitos locais pitorescos: a gruta de cristal, o a depressão alpina, o jardim atrás da parede. Um dos locais mais incomuns pode ser chamado de "selva": é difícil acreditar que na Europa pode haver uma ilhota de floresta tropical!

Publicação The Lost Gardens of Heligan (@heligangardens) Ноя 6 2016 в 1:23 PDT

Nos locais de flores, podem ser vistas muitas plantas raras e deslumbrantes trazidas para a propriedade de diferentes cantos do mundo. Entre elas, uma incrível coleção de camélias e rododendros. Outra atração do jardim é a chamada flora de ananás, a única preservada em toda a Europa. Por causa do clima impróprio, essas frutas tropicais foram cultivadas em poços especiais aquecidos pelo processo natural de compostagem.

Falando sobre os jardins de Heligan, não podemos deixar de mencionar as incríveis esculturas que se tornaram a marca registrada desse lugar. As composições de pedra denominadas "cabeça de gigante" e "garota adormecida" representam uma incrível combinação de minerais frios, que transmitem uma aparência morta, em contraste com as plantas vivas.

Publicação The Lost Gardens of Heligan (@heligangardens) Авг 31 2017 в 12:29 PDT

Publicação The Lost Gardens of Heligan (@heligangardens) Апр 24 2017 в 2:16 PDT

Vinte e cinco anos depois de terem sido abertos para o público, os Jardins Perdidos de Heligan se tornaram um lugar especial onde qualquer um pode desfrutar de uma natureza verdadeiramente exuberante e relaxar da agitação urbana. Graças ao esforço e dedicação de pessoas talentosas, podemos sentir a atmosfera da velha Inglaterra e ver obras-primas incríveis da arte floral e escultural.

Fuente: heligangardens / Instagram