Doador de medula óssea se encontra com gêmeas que ele salvou

INSPIRAÇÃO

Doador de medula óssea se encontra com gêmeas que ele salvou

Date December 11, 2017 12:40

Quando as irmãs gêmeas Elizabeth e Kathryn Girtler de Minnesota completaram três anos, os médicos diagnosticaram uma doença genética rara: trombocitopenia amegacariocítica congênita.

Esta doença é perigosa por conta da redução drástica da atividade da medula óssea, a tornando incapaz de produzir plaquetas no sangue.

Para sobreviver, as meninas precisavam passar urgentemente por um transplante de medula, mas achar um doador era praticamente impossível.

Nem o irmão, nem os pais das gêmeas foram aceitos para doadores. O jovem Leeroy, de 13 anos, poderia não suportar a cirurgia, já os pais não podiam sacrificar a medula deles por saberem que eles mesmos podem ter sido os portadores dessa doença.

O tempo passava e nada de aparecer um doador. Quando já não havia muita esperança, a família decidiu participar do programa de busca de doadores voluntários. Os participantes do “Be the Match to be possible”, anonimamente estendem a mão para aqueles que precisam de ajuda.

Um dos voluntários era Ingo Gruda, construtor da cidade alemã de Munster

Após 90 dias, da data de entrada no programa, feita pela mãe de Elizabeth e Kathryn Girtler, a família recebeu a tão esperada noticia: um doador foi encontrado!

Em maio de 2011, foi feito transplante de medula em Elizabeth, então com três anos. Em junho do ano seguinte, foi a vez de Kathryn. A mãe das meninas, Michele, de 43 anos, contou que os médicos fizeram esse intervalo entre as cirurgias para organizar o processo de recuperação das gêmeas.

Mas, a quem agradecer pela salvação de Elizabeth e Kathryn? Passados alguns anos, a mãe das meninas se dirigiu aos voluntários do programa de busca de doadores para que a ajudassem a encontrar o salvador de suas filhas.

Ingo Gruda, o doador, permanecia morando e trabalhando na Alemanha.

Assim que Michele descobriu o número de telefone do doador, ela imediatamente decidiu telefonar, com a ajuda de um intérprete.

No momento, quando o telefone tocou, Ingo estava no canteiro de obras. Ao saber que a ligação era da mãe das meninas salvas graças a ele, Ingo se abaixou e começou a chorar. Michele se sensibilizou a reação dele.

“Eu ouvi como as pessoas ao redor dele perguntavam se ele estava bem. E Ingo respondeu que ele tinha sido agraciado! Então eu entendi que Ingo sabia perfeitamente o que ele estava fazendo quando passou a participar do programa de doadores’, palavras da mãe das meninas salvas.

Aos nove anos de idade, Elizabeth e Kathryn tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente a pessoa que as salvou. Os voluntários do programa organizaram a vinda de Ingo para os Estados Unidos, para que a família Girtler pudesse manifestar seu agradecimento.

Quatro anos após o último transplante, o doador chegou a Minnesota para conhecer as meninas salvas graças a ele.

“Minhas filhas gostaram muito dele, disse a mãe, Michele Girtler. Elas conversaram com Ingo, como se o conhecessem a vida toda. Isso foi bastante emocionante! Todos se sentiram tocados. Muitas lágrimas e o sentimento de agradecimento!”

As gêmeas e o doador se encontraram pela primeira vez em um evento de caridade.

Elizabeth e Kathryn não escondiam um misto de nervosismo e alegria. As meninas prepararam presentes para Ingo, que por sua vez convidou as pequenas para dançar.

O trio ainda pousou para muitas fotos. Finalmente, a família Girtler pode agradecer por tudo que tinha recebido.

Neste ano, Elizabeth e Kathryn completaram 9 anos, e isso só é possível graça a Ingo. Que tenhamos no mundo sempre pessoas como ele, prontas para ajudar. Que no mundo tenhamos cada vez mais esse tipo de pessoa!