Mais importante do que o QI: o que é inteligência emocional?

Inspiração

December 22, 2017 14:12 By Fabiosa

Ainda nos primeiros anos na escola, as crianças são informadas sobre o QI (Quociente de Inteligência). No entanto, poucas pessoas conhecem conceitos de QE (Quociente Emocional) e IE (Inteligência Emocional). Uma vez que sua importância é subestimada, sugerimos começar a conhecer um pouco mais sobre inteligência emocional, pois, com frequência, ela desempenha uma função muito mais importante do que o nível de QI.

ImageFlow / Shutterstock.com

A raiz da palavra "emoção" é o verbo do latim "moveo", que significa 'para se mover, para definir em movimento'. Todas as emoções, de certa forma, induzem uma pessoa a agir de uma determinada maneira. A tristeza faz as pessoas chorarem, a alegria faz as pessoas rirem, e raiva as faz gritar e reagir fisicamente. As emoções são instigadas por instintos que são seguidos à risca por animais e crianças, uma vez que estes não são capazes de controlar os seus desejos. São as pessoas “civilizadas” que conseguem lidar com suas emoções, uma vez que não se deixam levar pelos instintos primitivos e, acima de tudo, são capazes de agir com racionalidade.

Os benefícios da inteligência emocional

Uma pessoa que possua inteligência emocional é capaz de encontrar motivação, mesmo quando a preguiça exerce grande força sobre o indivíduo. Ela é capaz de ignorar impulsos, adiar o próprio entretenimento, ignorar falhas e fracassos, controlar seu humor e evitar que qualquer emoção bloqueie sua capacidade de pensar e analisar logicamente. Todo este equilíbrio ajuda um individuo a encontrar a harmonia em sua vida.

agsandrew / Shutterstock.com

Há também casos em que uma pessoa com inteligência emocional desenvolvida, porém QI baixo, exerce funções superiores àqueles com um QI alto. Isso acontece devido às oportunidades que a IE dá a essa pessoa:

  1. Esse indivíduo é capaz de lidar com seus sentimentos, o que, por sua vez, lhe dá oportunidade de controlar suas emoções. Tal pessoa não é impulsiva, não hesita e sabe exatamente o que quer da vida.
  2. Esse indivíduo controla as emoções e as usa em beneficio próprio. Isso ajuda a perder menos tempo com experiências insignificantes.
  3. Esse indivíduo motiva a si mesmo e é capaz de encontrar inspiração "aqui e agora", sem perder tempo com expectativas irreais acerca de seu sucesso. Tais pessoas são mais produtivas e mais bem-sucedidas, uma vez que são capazes de executar uma tarefa em um curto espaço de tempo, sem procrastinação.
  4. Ele entende as emoções das outras pessoas, uma habilidade de valor inestimável. A pessoa que possui inteligência emocional é capaz de fornecer suporte, o que também poupa o tempo que normalmente seria desperdiçado em brigas e mal-entendidos.
  5. Esse indivíduo é capaz de falar consigo mesmo. Devido ao seu diálogo interior, ele geralmente encontra respostas para muitas de suas perguntas.
  6. Sua atitude perante a vida é positiva, uma vez que está ciente que que pode superar qualquer obstáculo.
  7. Ele não tem expectativas ilusórias, uma vez que sabe exatamente do que é capaz e do que não é.

O que a falta de inteligência emocional provoca

À primeira vista, a ausência de inteligência emocional pode não parecer terrível; no entanto, essa pessoa terá definitivamente as dificuldades em coexistir em sociedade. Primeiramente, este indivíduo ficará mais preocupado e deprimido devido a uma vasta gama de sentimentos que constantemente vão impedi-lo de seguir o caminho certo. Esse tipo de pessoa sempre tem muitos "mas" em sua cabeça, e estes obstáculos imaginários vão impedi-lo de evoluir. Em segundo lugar, a ausência de inteligência emocional implica problemas de concentração e, até mesmo, raciocínio. E, em terceiro lugar, há o risco de que estas pessoas se tornem agressivas e, ocasionalmente, desequilibradas.

Constantin Stanciu / Shutterstock.com

Uma mente acadêmica não faz uma pessoa "flexível" e pronta para enfrentar o caos de acontecimentos que a vida apresenta. É a inteligência emocional que ajuda a lidar com os eventos inesperados do destino.

As habilidades comportamentais de uma pessoa com inteligência emocional desenvolvida

Estas habilidades devem ser divididas em verbais e não verbais. Habilidades verbais incluem a capacidade de ouvir, formular precisamente seus desejos e exigências, reagir calmamente às críticas e não se deixar influenciar pelo fluxo de energia negativa. No segundo caso, a pessoa compreende que seu diálogo não depende apenas de palavras, mas também de expressões faciais e gestos. Ela é capaz de manter contato visual, escolher o tom de voz e expressão facial.

Uma pessoa que pode controlar seus sentimentos e emoções é aquela que conhece a si mesma cem por cento. Ela não tem medo dos desafios da vida, uma vez que é capaz de lidar com todas as tarefas que lhe são dadas. Ela é produtiva, bem-sucedida e talentosa. Tal pessoa compreende outras pessoas muito bem, visto que foi capaz de compreender a si mesma em primeiro lugar.

Fonte: ‘Emotional intelligence’ by Daniel Goleman