Brincando com a morte: Um menino de 12 anos de idade trabalha perigosamente o dia todo para alimentar sua família

De uma maneira geral, todas as pessoas deveriam passar por certas experiências na vida, algo que se relacione com algum tipo superação de obstáculos e dificuldades. Isso geralmente ocorre quando uma pessoa deixa de ser dependente dos pais moral e financeiramente e se prepara para uma vida independente. Infelizmente, alguns têm que passar por isso muito antes. Esta é a história de Ranel García, um menino da Manila que tem que "brincar" com a morte todos os dias para ganhar o suficiente para alimentar sua família.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Que horror! Mãe coloca câmera escondida e vê babá abusando do seu bebê!

À primeira vista, Ranel é uma criança comum que mora em Santa Mesa, nas Filipinas. No entanto, a vida do garoto não é tão simples quanto parece. Todos os dias, Ranel tem que trabalhar 10 horas no sol escaldante. O menino está envolvido em uma atividade muito perigosa: ele transporta passageiros em um bonde improvisado ao longo de uma ferrovia. Essa atividade é muito popular entre os jovens moradores da cidade e bastante conhecida pelos passageiros. O transporte improvisado ajuda as pessoas a não terem que ficar esperando e, assim, chegarem mais depressa suas casas. Além disso, esta é uma maneira perfeita de economizar dinheiro, já que viajar em um carrinho desses custa menos de 20 centavos. Essas viagens são muito perigosas porque os passageiros e o motorista correm o risco de serem atropelados por um trem. Rene Vargas Almeria, de 57 anos, que trabalha com isso há mais de 20 anos, relata:

Nosso trabalho aqui é muito perigoso, afinal você precisa saber a que horas o trem passa.

As autoridades não gostam desses veículos, mas a polícia afirma não ter ouvido falar sobre acidentes nas ferrovias faz um bom tempo. No entanto, a história de outros carrinhos não foram assim tão felizes. Por exemplo, Rodolfo Maurello, de 60 anos, lembra-se de uma vez em que ele não percebeu a chegada do trem, e que por muito pouco não acabou sendo atropelado. Além disso, durante entrevista, Rene Almeria lembrou do momento quando ele mal conseguiu salvar seu carrinho e os passageiros ao ver o trem se aproximando.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Alerta! Pais detectaram doença fatal da filha depois de uma simples foto no balanço

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Ranel, de 12 anos, não tem medo das dificuldades: ele precisa alimentar sua família. No entanto, o tempo que passa trabalhando não permite que ele frequente a escola:

Eu não quero ir para a escola ainda. Eu acho que ganhar dinheiro é mais importante no momento.

Renel chega a transportar até 30 passageiros por dia. O salário diário do menino é inferior a US$ 4, enquanto que há dias em que ele sequer consegue receber US$ 1. De qualquer forma, a renda anual média filipina é de US$ 7.660. Às vezes, o garoto tem que pedir dinheiro emprestado a amigos para poder dar almoço a seus irmãos e irmãs.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Independentemente de todas as dificuldades, o jovem tem esperanças em relação ao futuro:

Meu sonho é simples. Eu só quero sair da pobreza e parar de empurrar carrinhos para ganhar a vida.

Hoje as Filipinas se colocam como um país industrial promissor, ocupando o 34º lugar entre os PIB do mundo. Apesar disso, mais de 105 milhões de pessoas vivem na pobreza, tentando alimentar suas famílias através da agricultura, pesca e fazendo trabalhos perigosos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Estamos impressionados com a dedicação e a coragem deste menino de 12 anos. Com sorte, ele logo receberá uma chance de escapar da pobreza e de realizar todos os seus sonhos.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Isso é jeito de educar? Professor amarra aluno à cadeira em plena sala de aula e pais se chocam com a situação