Casal com nanismo fala sobre como eles se apaixonaram e criam filhos que são tão diferen

Casal com nanismo fala sobre como eles se apaixonaram e criam filhos que são tão diferentes deles

Família & Crianças

July 27, 2018 16:00 By Fabiosa

Joe Stramondo e sua esposa, Leah, sempre quiseram começar uma família. No entanto, a jornada do casal até a paternidade não foi nada tranquila.

Os dois, que possuem nanismo, tiveram que lidar com um aborto espontâneo anteriormente e estavam desesperados para ter um bebê. A história deles foi uma das diversas apresentadas no documentário "Far From The Tree", que mostra a realidade de famílias em que os filhos são muito diferentes de seus pais. 

Durante esse episódio, os espectadores puderam acompanhar as dificuldades pelas quais Joe e Leah passaram, mas há um final feliz. O filme terminou com a chegada da pequena Hazel, que não nasceu com nanismo.

Alguns anos depois, a família ficou ainda maior quando recebeu o segundo filho, Silas.

A diretora Rachel Dretzin, que era o cérebro por trás do emotivo documentário, conheceu Joe e Leah de perto, assim como os personagens das outras histórias apresentadas.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Para a vida inteira! Após 55 anos juntos, casal morre com horas de diferença

Leah, 37 anos, revelou a Rachel que ela e seu marido haviam se conhecido "nos tempos do MySpace". Leah encontrou a página de Joe e ficou muito encantada por ele. Na época, ela estava apenas curiosa sobre o então desconhecido homem e tinha certeza de que queria conhecer a pessoa por trás daquela página na internet.

Os dois acabaram se unindo, mas, segundo ela, demorou cerca de dois anos para que o relacionamento se tornasse sério. Depois disso, eles namoraram por quatro anos antes de se casarem.

Leah contou que sempre havia namorado pessoas de estatura média antes de Joe, mas o que ela tinha com ele era algo especial.

Joe era muito engraçado e sempre tinha uma maneira de fazer Leah rir, um fato que também ficou evidente no documentário. Durante a luta do casal para engravidar, uma coisa era clara: o filho deles seria amado e aceito independentemente de terem nascido com nanismo. Leah disse:

Então, eu tenho um desejo de ter uma pessoa pequena, mas se nós tivermos um filho de tamanho normal, acho que ainda teremos muito em comum, porque eu entendo o que é ser diferente de sua família.

O casal acabou tendo dois filhos, e nenhum deles nasceu com nanismo. Joe, que depende de uma cadeira de rodas para se locomover, achou difícil lidar com a paternidade no começo, mas a família permaneceu otimista, irreverente e incrivelmente eficiente em lidar com o desconhecido.

Seus filhos podem não ser iguais a eles, mas esse casal adorável não escolheria nada diferente.

Fonte: Documentary

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Casal adota menino de 10 anos e história comove internet