Você com certeza sabe quem é o homem desta foto, mas não faz ideia da história por trás da imagem!

Inspiração

December 27, 2018 15:23 By Fabiosa

O Natal é um feriado que costumamos passar com entes queridos, em meio a muito amor e troca de presentes. Para os cristãos, a data é uma parte significativa de sua fé, pois marca o nascimento de Jesus Cristo. No entanto, como ele viveu mais de 2 mil anos atrás, é difícil determinar como ele era fisicamente.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Jesus tinha irmãos? Novela bíblica acende polêmica ao mostrar outros filhos de Maria

Um artista americano chamado Warner Sallman tentou 'resgatar' esse momento e, em 1940, Warner Sallman fez uma pintura de Jesus que logo ganhou reconhecimento mundial. O retrato foi chamado de "Cabeça de Cristo".

No entanto, a verdadeira origem da pintura remonta a 1924, quando Salman foi diretor de arte voluntário da Covenant Companion, uma publicação da Igreja Evangélica da Aliança.

Você com certeza sabe quem é o homem desta foto, mas não faz ideia da história por trás da imagem!Warner Sallman Art Collection, Inc. / YouTube

Com o prazo final para a próxima edição, ele precisava criar a capa adequada e uma noite teve uma visão em que viu a imagem do Cristo. Assim, ele pintou usando carvão e chamou de "Filho do Homem".

Com o passar dos anos, o artista fez diferentes variações da pintura e, em 1940, foi contratado pelo North Park Theological Seminary para reproduzir a pintura, que teve o nome mudado. Desta vez, foi uma pintura a óleo com a cabeça de Cristo iluminada contra um fundo marrom.

Por meio da Igreja de Deus, uma nova empresa de marketing foi criada para promover o trabalho de Sallman, e a pintura passou a ser sua peça mais conhecida entre centenas de outras obras. Acredita-se que esta é a obra de arte religiosa mais reproduzida do mundo, cerca de 500 bilhões de vezes.

Durante a Segunda Guerra Mundial, reproduções em tamanho de bolso da imagem foram produzidas e, assim, a popularidade da pintura se espalhou pelo mundo.

Após sua morte, em 1968, surgiram críticas e a pintura foi rotulada como "Jesus americano". Enquanto alguns alegaram que ela representava passivamente Jesus, outros reclamaram que as características da imagem eram muito caucasianas. Outros ainda defenderam Sallman, dizendo que ele simplesmente pintou um Jesus que ele e os outros ao seu redor pudessem se relacionar.

Com sua popularidade indo de vento em popa, muitas de suas obras estavam espalhadas por toda parte, mas um homem chamado Leroy Carlson encarregou-se de coletar o máximo possível de suas obras. Atualmente, o Chefe de Cristo está em exposição no Centro Billy Graham no Wheaton College.

Apostamos que é bom conhecer a história por trás do rosto que muitos de nós imaginamos em Jesus Cristo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Mistérios da Religião: historiadores revelam uma aparência de Jesus completamente diferente da que aparece nas imagens