Ela queria acabar com a sua vida por causa de uma terrível doença, mas não se rendeu e

INSPIRAÇÃO

Ela queria acabar com a sua vida por causa de uma terrível doença, mas não se rendeu e agora é uma atleta!

Date 7 de julho de 2017

Janka Penther, que uma vez foi surfista, estava em casa, mal conseguia caminhar e só podia respirar através de um tubo de oxigênio. Quando a condição pulmonar crônica estava no seu pior momento, a mulher de 35 anos se sentia tão mal que disse a sua família que queria viajar à Suíça para pôr fim a sua vida. Janka disse que tinha dias que ela não conseguia enfrentar a vida.

Daily Mail

Mas sua vontade de viver venceu seu desespero. Ela foi colocada na lista de espera de doadores de órgãos e posteriormente se submeteu a um transplante de pulmões bem-sucedido. Descrevendo o momento em que encontrou a força para continuar, disse: “Havia uma pequena voz dentro da minha cabeça que dizia: Talvez amanhã será melhor”. Desde a operação, Janka tem competido no evento “Rat Tace Dirty Weekend”, em que os atletas têm que superar obstáculos incluindo cruzar água, barras, muros para escalar e tobogãs gigantescos.

Daily Mail

Agora ela deve competir nos Jogos Mundiais de Transplante em Málaga, Espanha, onde será a única paciente de transplante de pulmão no evento de natação de 50 metros. Penther, que completou o trajeto em oito horas, disse: Houve momentos em que eu queria desistir, mas foi incrível terminar e um dos melhores dias da minha vida. Infelizmente ainda vivo com limitações devido a minha doença, mas penso em tirar o máximo proveito da vida”.

Daily Mail

Jankak foi diagnosticada com fibrose cística quando era uma bebê e os médicos advertiram a sua família que provavelmente não viveria até seu segundo aniversário. Mas ela prometeu viver uma vida o mais ativa possível, praticando seus esportes favoritos na escola, incluindo basquete, e depois praticando surf quando se mudou a Cornwall na adolescência.

Daily Mail

A princípio ela não queria se submeter ao transplante, já que tinha medo de limitar suas capacidades. “Houve três invernos muito ruins. Em primeiro lugar, teve a gripe suína, que teve um efeito muito negativo na minha capacidade pulmonar. Depois, no próximo inverno, no começo de 2012, cai em um rio gelado tentando resgatar meu cachorro e não consegui sair, acabando com pneumonia”.

Daily Mail

Janka decidiu aceitar o transplante para pode pegar mais uma onda como surfista, mas não foi bem-sucedido, ela estava decidida a viajar à Suíça e acabar com a sua vida. Ela recebeu os pulmões de uma menina de 23 anos, que faleceu em 2013. 24 horas após a cirurgia ela já conseguia respirar sozinha.

Daily Mail

No mês seguinte, Penther saía com sua família e curtia desde passeios pela praia a reuniões com seus amigos, e para 2014 estava considerando voltar a surfar. “Você pode fazer muita coisa depois de um transplante e quero que as pessoas saibam disso. Para mim, participar da prova se trata de liberdade e amor pela vida”. Atualmente, Penther é encarregada da equipe Harefield Transplant Club, conhecida como “Os Hamsters de Harefield”, que oferece apoio aos pacientes com transplantes e suas famílias.