Os efeitos positivos e negativos das emoções vivenciadas p

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Os efeitos positivos e negativos das emoções vivenciadas pela mãe sobre o feto durante a gravidez

Date 26 de outubro de 2017

Uma grande parte dos estudos científicos durante o século XX trabalhou com o objetivo de mostrar que os fetos não tinham memória afetiva. Em outras palavras, que essa atividade emocional e cognitiva era zero. No entanto, ao longo dos últimos 10 anos, estudos mostraram que os fetos podem sentir e são capazes de responder a estímulos.

O feto cresce sob a influência do ambiente energético-emocional criado pela mãe. A pele da mãe torna-se uma fronteira de ligação com o exterior. Assim, as luzes, os sons, as sensações que a mãe recebe e transmite, ativam e estimulam o bebê.

Alexander Lukatskiy / Shutterstock.com

Os sinais para que o corpo do bebê se desenvolva também são recebidos através de uma ligação emocional e energética com a mãe. É por isso que o vínculo afetivo com a mãe é importante, sendo determinante para o crescimento biológico.

Como as emoções negativas afetam os bebês?

Vladislav Lazutin / Shutterstock.com

Quando a mãe se sente angustiada, estressada, preocupada, triste ou melancólica, o bebê pode sentir isso. Isso ocorre porque o corpo recebe sinais nervosos que indicam o estado e produzem uma substância chamada catecolaminas, que provoca um aumento da frequência respiratória e da pressão arterial.

O bebê não só pode perceber essas mudanças e se sentir emocionalmente afetado por conta delas, mas, da mesma forma, pode sofrer bradicardia ou taquicardia: aumento ou diminuição da frequência cardíaca.

Como as emoções positivas afetam os bebês?

George Rudy / Shutterstock.com

Contrariando todos os mitos, o orgasmo beneficia o bebê. Quando a mãe experimenta sentimentos como: prazer, alegria e entusiasmo; ela produz serotonina, o hormônio da felicidade. O bebê recebe essa substância e experimenta sentimentos positivos. Além disso, o orgasmo é uma maneira de fortalecer o vínculo com a figura do pai.

Lucky Business / Shutterstock.com

Quando o bebê recebe a endorfina, proveniente da mãe, ele adquire maior sensação de felicidade e segurança.

Lembre-se que nosso vínculo com o bebê não é apenas biológico, também é emocional e psíquico. Por isso, é importante transmitir sentimentos positivos, pois ajudaremos a fortalecer e ajudar o bebê a crescer saudável.

O que achou das informações contidas no artigo? Não se esqueça de compartilhar o conteúdo com seus familiares e amigos!