Tudo sobre a depressão, o transtorno bipolar, o déficit de atenção e outros problemas psicológicos comuns

Inspiração

December 14, 2017 19:24 By Fabiosa

Apesar de nos últimos anos terem sido criadas muitas campanhas focadas em criar consciência sobre as diferentes doenças mentais ou transtornos psicológicos que afetam a população mundial, o impacto que estas tiveram no público geral tem sido pequeno. Tanto que as pessoas seguem utilizando de forma pejorativa ou superficialmente termos muito sérios como "bipolar", “deprimido”, “viciado”, entre muitos outros.

Estes problemas psicológicos não são brincadeira e realmente podem chegar a afetar pessoas em uma proporção mais alta do que costumamos acreditar. É realmente importante ter consciência do que realmente são estas doenças psicológicas, para assim poder encontrar o tratamento adequado, dar o apoio necessário a quem tem e encarar com a maior sinceridade.

Estas são as explicações e os detalhes sobre vários dos transtornos psicológicos mais comuns:

1. Déficit de atenção

Este transtorno é um dos mais banalizados na atualidade. Muitas pessoas afirmam que seus filhos têm este déficit. O mais importante para reconhecê-lo é saber que há dois tipos: um deles é o caso de pessoas que não conseguem prestar atenção nos detalhes, se concentrar em uma tarefa ou focar em algo por um tempo muito. E outro é o caso dos hiperativos e impulsivos, que não conseguem manter um diálogo porque sempre estão falando sem esperar a vez do outro. O ruim deste déficit é que quem possui é tachado de preguiçoso ou grosseiro, mas na verdade eles sofrem de algo difícil de controlar sem ajuda especializada.

2. Depressão

Dirima / Shutterstock.com

Confundir a depressão com tristeza é um erro extremamente comum e, além disso, muito perigoso. A depressão tem muitos sintomas que não são comuns na tristeza, como mudanças de peso, insônia, perda da libido e, em casos extremos, pensamentos suicidas. É muito importante procurar imediatamente uma assistência médica ou psicológica se você achar que você ou alguém conhecido seu tem depressão.

3. Esquizofrenia

A esquizofrenia é um problema que faz com que as pessoas percam a percepção da realidade em forma parcial ou total. Os esquizofrênicos costumam sofrer de paranoia, formas extremas e estranhas para falar ou pensar, falar sozinhos pensando que estão falando com mais alguém e outros sintomas deste tipo, de forma repetida e intensa. Muitas das alucinações de quem sofre deste problema são experiências realmente assustadoras e traumáticas. O tratamento desta doença exige ajuda psiquiátrica e medicamentos muito fortes

4. Transtorno bipolar

A palavra “bipolar” é outra que é utilizada superficialmente em muitas ocasiões. No entanto, o verdadeiro transtorno é muito mais extremo que simples comportamentos inconstantes. Os que sofrem costumam ser enérgicos, extremamente confiantes e irresponsavelmente atirados por algumas semanas, para depois cair em depressão e tristeza profunda por algum tempo. As pessoas que começam a sentir impulsos extremos e perigosos, sem motivo aparente e de forma contínua, devem consultar um especialista para descartar este problema de forma precoce.

5. Estresse pós-traumático

Este fenômeno aparece sem avisar depois de algum evento traumático, seja consciente ou inconsciente. Se uma pessoa sofre algum trauma e mesmo depois de um mês continua mostrando sintomas de estresse diante de pequenos eventos, é provável que ela precise de mais tempo para curar a cicatriz mental que apareceu.

6. Psicose

Alguém sem experiência pode facilmente confundir este problema com a esquizofrenia. Na verdade, há várias coisas em comum, como a escassa assertividade em diferenciar a realidade da fantasia e em dizer ou pensar coisas ilógicas, sem sentido ou desordenadas de forma constante e em situações sérias. No entanto, a psicose costuma ser algo mais de episódios pontuais, enquanto os esquizofrênicos têm episódios psicóticos e não ao contrário.

7. Vício

Marc Bruxelle / Shutterstock.com

Os vícios sempre devem ser tratados como doenças mentais. As pessoas, muitas vezes, não escolhem ter hábitos perigosos como fumar, beber em excesso ou apostar, mas estes hábitos se convertem em formas de vida impossíveis de escapar. É importante saber que nem todos os vícios têm a ver com substâncias, mas também com ações como as de apostar, vício em sexo ou até em videogame. Algo é considerado um vício quando já não é possível parar e acaba afetando o dia a dia.

8. Transtorno obsessivo-compulsivo

Este problema é uma forma exacerbada de ansiedade que faz com que as pessoas se sintam em constante incômodo e obsessão por coisas que não são realmente importantes. Tudo começa com coisas simples como organizar as roupas por cores; porém, se elas começam a perder muito tempo no dia a dia e se sentir estressadas, isso não é bom, então é melhor prestar atenção.

Esperamos que este guia seja útil. Nenhum destes problemas deve ser encarado superficialmente e eles só podem ser diagnosticados e tratados por especialistas qualificados.

Fonte: Women’s Health


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada no artigo. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes do artigo.