A diabetes gestacional não é um risco só para a futura ma

A diabetes gestacional não é um risco só para a futura mamãe: o bebê também corre perigo

Família & Crianças

December 14, 2017 18:22 By Fabiosa

A gravidez é uma etapa muito linda para a mulher, mas ao mesmo tempo implica uma série de cuidados médicos adicionais em que devemos prestar atenção. Um deles é a diabetes gestacional ou a diabetes que ocorre apenas quando a mulher está grávida.

Geralmente, ela se desenvolve e é diagnosticada entre a 24° e a 28° semana de gestação e costuma desaparecer depois do parto. Se for tratada adequadamente, não representa nenhum risco para a futura mãe ou o bebê, mas não fazê-lo pode ser prejudicial para ambos

O que é a diabetes gestacional?

Visto que a placenta produz um hormônio que deixa o organismo resistente à própria insulina, o pâncreas não consegue regular os níveis de açúcar no sangue de forma eficiente. O que a faz diferente da diabetes tipo 1 e 2 é que esta só aparece durante a gestação e desaparece depois do parto.

Fatores de risco

Ainda que qualquer mulher grávida possa desenvolver diabetes gestacional, existem vários fatores que aumentam consideravelmente o risco de contrai-la:

  • Ter mais de 25 anos de idade;
  • Antecedente familiar de diabetes;
  • Obesidade antes da gravidez;
  • Histórico familiar de nascimento de bebês grandes (mais de 4 quilos);
  • Pressão arterial alta;
  • Excesso de líquido amniótico;
  • Histórico de aborto involuntário ou morte fetal;
  • Antecedente pessoal de diabetes gestacional;
  • Ser de origem afro-americana, hispânica ou nativa dos Estados Unidos.

Principais sintomas

Para diagnosticar a diabetes gestacional, não basta conhecer os sintomas, pois estes chegam a ser muito leves ou até inexistentes. Alguns deles são sede constante e excessiva, vontade de urinar frequentemente, fadiga, náuseas e vômitos, perda considerável de peso e visão embaçada.

Diagnóstico

Um exame de glicose é o melhor método para diagnosticar a diabetes. Por volta da 20° semana de gestação, são analisados os níveis de açúcar no sangue uma hora depois de beber uma solução concentrada de glicose.

Tratamento

Para controlar a diabetes, deve-se limitar os carboidratos e implementar uma rotina de exercícios, embora haja casos que necessitem de testes diários de glicose e até injeções de insulina.

Riscos para o bebê

Um estudo descobriu que as crianças nascidas de mães com diabetes gestacional têm o dobro de probabilidade de apresentar Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Também pode surgir o risco de desenvolver diabetes tipo 2 mais adiante na vida.

Outros problemas incluem hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue), icterícia, anomalias eletrolíticas, convulsões e problemas respiratórios por causa dos pulmões imaturos.

Agora que você já sabe, cuidar da dieta durante a gravidez é extremamente importante para sua saúde e a saúde do novo membro da família.


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.