Ao chegar na fase da menopausa, a mulher deve se cuidar para

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Ao chegar na fase da menopausa, a mulher deve se cuidar para não sofrer com estes 8 problemas de saúde

Date January 23, 2018 18:22

As mudanças físicas que ocorrem antes e durante a menopausa podem ser incômodas, mas são uma parte normal desta transição. No entanto, o risco de sofrer complicações mais graves aumenta depois de chegar a esta etapa, pois os níveis de estrogênio caem significativamente durante a menopausa. Este é o hormônio que regula muitos processos corporais, inclusive os níveis de cortisol e androgênio. Esse hormônio também desempenha um papel no desenvolvimento ósseo, na coagulação do sangue e até em certas funções cerebrais.

As seguintes complicações estão associadas com a menopausa, embora esta normalmente não seja a única causa para eles, já que o envelhecimento normal também aumenta o risco de desenvolver estes problemas médicos:

1. Apneia do sono

De acordo com a Dra. Sara Nowakowski, professora-assistente de Psiquiatria e Ciências do Comportamento na Universidade do Texas, as mulheres têm um risco 3,5 vezes maior de sofrer apneia do sono depois da menopausa do que antes da transição. Este problema, no qual a pessoa para de respirar durante vários segundos enquanto dorme, o que faz com que seja difícil ter um sono restaurador. E isso também aumenta o risco de ter diabetes, acidente vascular cerebral, entre outros problemas de saúde.

2. Osteoporose

Africa Studio / Shutterstock.com

Infelizmente, quanto mais tempo seu corpo passa sem um período menstrual, maior será o risco de ter osteoporose e fraturas, já que o estrogênio desempenha um papel importante na manutenção da densidade óssea. Entre 20% e 30% da perda óssea nas mulheres ocorre nos primeiros cinco anos depois da menopausa.

3. Aumento de peso

O aumento de peso, principalmente na região do abdômen, é comum nas mulheres perto dos anos da menopausa. O aumento da gordura abdominal é muito perigoso, já que eleva o risco de sofrer uma doença cardíaca. Por isso, é muito importante reduzir as calorias, ter uma dieta nutritiva e tirar um tempo para fazer exercícios.

4. Problemas cardíacos

Africa Studio / Shutterstock.com

O estrogênio produzido pelos ovários antes da menopausa proporciona uma poderosa proteção para o coração: ele aumenta o colesterol HDL (“bom”), reduz o colesterol LDL (“ruim”), dilata os vasos sanguíneos para que o fluxo sanguíneo aumente e previne a pressão alta. Por este motivo, a significativa redução de estrogênio depois da menopausa aumenta o risco de sofrer uma doença cardíaca. Uma a cada oito mulheres entre as idades de 45 e 64 anos tem alguma forma deste problema e este número aumenta para uma a cada quatro mulheres acima de 65 anos, segundo o Instituto Nacional do Coração, Sangue e Pulmões dos Estados Unidos.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Jovem diagnosticada com menopausa precoce consegue engravidar de gêmeos

5. Diabetes

Os baixos níveis de estrogênio podem afetar seus hormônios, principalmente o hormônio do estresse (cortisol) e o hormônio da fome, chamado grelina. À medida que os níveis destes hormônios se alteram, isso também acontece com o nível de insulina. Com as constantes mudanças no apetite e no nível de açúcar, acontecem duas coisas no corpo: vontade intensificada de doces e maior resistência à insulina.

6. Transtornos autoimunes

Você se sente cansada, de mau humor ou tem aqueles calores incontroláveis? Todos estes são sintomas normais da menopausa, mas também poderiam ser sinais de transtornos autoimunes como a esclerose múltipla, lúpus ou a artrite reumatoide, segundo Mindy S. Christianson, professora-assistente de Endocrinologia Reprodutiva e Infertilidade na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

Novamente, o estrogênio é o culpado: as mudanças deste hormônio podem provocar um excesso de inflamação no corpo e isto afeta certos sistemas corporais.

7. Doença de fígado

A diminuição do estrogênio e o aumento da idade atacam de novo, já que dificultam a reparação do fígado diante dos efeitos nocivos de substâncias tóxicas, infecções ou excesso de gordura.

8. Problemas urinários

andriano.cz / Shutterstock.com

A incontinência urinária é muito comum depois da menopausa. Isto provavelmente se deve ao afinamento da uretra (causado pela diminuição dos estrogênios), assim como os músculos debilitados do assoalho pélvico (resultado de um parto vaginal, por exemplo), de acordo com o Dr. JoAnn V. Pinkerton, diretor-executivo da Sociedade Norte-Americana de Menopausa (NAMS).

Durante este período, você também fica mais propensa a sofrer infecções recorrentes do trato urinário (ITU), segundo um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, porque o estrogênio também ajuda a manter as bactérias fora dessa região.

Mudanças saudáveis no estilo de vida são essenciais para prevenir a grande maioria das complicações da menopausa. Também é importante visitar regularmente o médico durante todo esse processo. Ele ou ela controlará seus sintomas cuidadosamente para garantir que sua transição nesta etapa seja saudável.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Saiba quais são os sintomas da pré-menopausa


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.