Quão importante é o papel do pai no futuro da filha? Estud

INSPIRAÇÃO

Quão importante é o papel do pai no futuro da filha? Estudos revelam até que ponto isso vai

Date March 3, 2018 06:32

Normalmente, se pensa que o relacionamento mais importante é o da mãe para com seus filhos, sejam eles meninos ou meninas. Embora seja verdade que as mães são uma parte essencial e fundamental da vida de qualquer pessoa, é também um mito que o pai não tenha uma relevância maior no crescimento de uma criança, especialmente meninas.

George Rudy/Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Giulia Costa faz homenagem emocionante para o pai, Marcos Paulo: “Meu amor por você só cresce a cada dia, e a minha saudade só aumenta!”

A verdade é que alguns estudos psicológicos demonstraram que a influência do pai na vida das garotas é fundamental. De acordo com a médica de psicologia social Susan Newman, os bebês estão ligados ao pai da mesma maneira que à mãe.

Monkey Business Images/Shutterstock.com

Além disso, há estudos atualizados que relataram um aumento no número de homens que ficam em casa para cuidar de seus filhos, o que está tendo uma grande influência sobre eles. Na verdade, mesmo que esse não seja o caso, as meninas tendem, depois dos 3 anos, a ter um relacionamento mais próximo com o pai do que com a mãe.

lakov Filimonov/Shutterstock.com

No entanto, também é verdade que isso pode chegar até a adolescência, quando geralmente se vê um distanciamento do pai. Isso pode ser por causa do início das mudanças psíquicas e corporais, então a garota começa a procurar a mãe para ser mais bem compreendida, especialmente porque, pouco a pouco, ela começa a sentir um relacionamento de mulher para mulher com ela.

Porém, naquele momento, é essencial que o pai saiba como aceitar isso, pois dará à sua filha uma sensação de segurança que lhe permitirá entender que não há nada de errado com essa nova dinâmica e, mais cedo ou mais tarde, ela notará que essa confiança em seu pai é algo que não muda.

Evgeny Atamanenko/Shutterstock.com

Os traços que as meninas aprendem com seu pai são refletidos em suas relações com o sexo oposto, não apenas em relacionamentos românticos, mas também com amigos e colegas de classe. O pai, lembremos, é a primeira figura masculina que ela vai ver em casa, então é muito importante a forma como o pai trata a mãe. Se ela vir um tratamento de respeito e de amor, é exatamente isso que ela procurará para a sua própria vida e história de amor.

Entre as características que se destacam por serem influenciadas pelo pai, encontramos as seguintes:

- autoconfiança;

- autoestima;

- assertividade;

- desenvolvimento do espírito aventureiro.

Em outras palavras, embora a mãe sempre seja um modelo a ser seguido e um exemplo de mulher, o pai será aquele que a influenciará, para bem ou para mal, para se relacionar com seu mundo externo e pode servir como um ótimo guia. É por isso que o pai deve incentivar, manter, apoiar e sempre fornecer o seu melhor conselho.

Evgeny Atamanenko/Shutterstock.com

Tipos de pai que você deve considerar não ser

Existem dois tipos de pais que não devemos ser. Esses dois tipos são opostos, então preste atenção ao seguinte:

- Pai dominador: o pai dominador pode levar a menina a ter um fascínio pela capacidade que os homens fortes têm, mas também pode levá-la a querer "punir" seus futuros parceiros, o que acaba por orientá-la a relacionamentos tóxicos e instáveis.

-Pai muito permissivo: o pai que mima muito a sua filha acaba criando nela uma ideia de que os homens são submissos e fracos, o que a impede de ter confiança e equilíbrio em seus relacionamentos como casal.

AshTproductions/Shutterstock.com

Como podemos ver, a relação entre um pai e sua filha pode levar a uma influência positiva ou negativa, dependendo de como as coisas acontecem, mas sempre afeta o nível emocional e suas relações sociais com outras pessoas do sexo oposto.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Sua esposa morreu de câncer e, para honrar sua memória, ele decidiu recriar as fotos do casamento com sua filha


O material deste artigo é destinado apenas a fins informativos e não substitui o conselho de um especialista devidamente habilitado.