A anuptafobia ou o medo de ficar solteira: o que é, por que

CELEBRIDADES

A anuptafobia ou o medo de ficar solteira: o que é, por que acontece, incidência e como tratá-la

Date March 28, 2018 02:47

Vivemos em uma sociedade que constantemente nos pressiona com padrões de beleza, com comportamentos ou para termos uma companhia. Realmente, existem pessoas que vivem constantemente reclamando sobre seus relacionamentos amorosos, sobre como elas se sentem mal ao lado do parceiro ou simplesmente porque elas não conseguem ficar sozinhas. O que muitas mulheres não sabem é que o medo de ficar solteira e não ter um parceiro pode se transformar em fobia conhecida como anuptafobia.

O que é isso?

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Após um ano solteira, apresentadora diz: “Eu estou mais dona da minha vida do que nunca”

A anuptafobia é uma fobia que algumas mulheres estão desenvolvendo ao atingir uma certa idade e não ter um parceiro ou ver que estão ficando sozinhas. Esta fobia pode ocorrer tanto em homens quanto em mulheres, mas é muito mais comum entre mulheres na faixa dos 30 a 40 anos.

Características

As mulheres que sofrem de anuptafobia têm baixa autoestima e pouca confiança em si mesmas, são dependentes, ciumentas e têm medo de pensar que podem ficar solteiras. Não é uma simples incapacidade de ficar sozinha, mas torna-se uma necessidade que começa a gerar angústia e ansiedade na pessoa que sofre disso.

Comportamento

As pessoas que sofrem de anuptafobia fazem todo o possível para não ficar sem um parceiro, ou seja, investem muita energia e tempo para encontrar alguém com quem manter um relacionamento. Em algumas ocasiões, as pessoas que sofrem com esta fobia podem chegar a agir de modo extremo para evitar ser abandonadas ou ter que terminar o relacionamento, o que em alguns casos pode levar a situações que ameaçam a sua autoestima e integridade como mulher.

Como solucionar?

Existem alguns passos que você pode seguir caso perceba que possa estar sofrendo dessa fobia:

1. Reconhecer o problema

É o primeiro passo de todos para poder avaliar a origem do problema e as dificuldades que sofrer desta fobia causam em sua vida pessoal e profissional.

2. Reforçar a autoestima

É importante aprender a se amar primeiro para poder amar os outros. Quanto mais a pessoa se sentir satisfeita e confortável consigo mesma, melhor será o relacionamento que terá com o parceiro e não o verá como uma necessidade, e sim como um aspecto positivo em sua vida.

3. Aprender a ficar sozinha

Ainda que possa parecer difícil, é importante aproveitar cada etapa de sua vida e ver o lado positivo em cada aprendizado, mesmo que seja seu momento de ficar solteira por um tempinho.

4. Não é obrigatório ter um parceiro para ser feliz

Essa é uma ideia que você deve ter bem clara em sua mente, porque você pode aprender a cultivar outras facetas de sua vida enquanto você se cerca de pessoas positivas e atividades que você gosta e que te façam feliz.

Se você acha que pode estar passando por um momento de dificuldade, a primeira coisa a fazer é recorrer a um amigo ou membro da família para te orientar. Se você precisar, procure um profissional como um psicoterapeuta, que te ajudará a atacar a raiz do problema.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Pesquisa revela que mulheres solteiras buscam homens mais inteligentes


O material deste artigo é destinado apenas a fins informativos e não substitui o conselho de um especialista devidamente habilitado.