Ela nasceu com uma doença incurável e foi abandonada pelos

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Ela nasceu com uma doença incurável e foi abandonada pelos pais, mas felizmente um anjo a resgatou

Date May 25, 2018 17:11

Com apenas duas semanas de vida esta bebê foi rejeitada por todos ao seu redor, inclusive pelos pais. Porém, graças ao generoso coração do avô, ela agora tem uma família e a oportunidade de sobreviver.

Quando Mamata e Ajay Dode, ambos de 25 anos de idade, foram ao hospital para que Mamata desse à luz, não esperavam que sua pequena filha nascesse com uma estranha doença de pele. A pequena, que nasceu prematura aos 7 meses de gestação, pesava apenas 900 gramas.

Apesar de a gravidez de Mamata ter transcorrido com total normalidade, o aspecto da recém-nascida era estranho. Sua pele, em vez de suave e firme como a dos demais recém-nascidos, estava totalmente enrugada. Os médicos acreditavam que a aparência do bebê poderia ser decorrente de uma anomalia cromossômica ou devido ao crescimento uterino retardado (CIUR), mas isso pouco importou aos pais, amigos e familiares.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Por causa de uma doença Nicole não podia ter filhos, foi então que seus amigos fizeram uma sugestão inesperada...

Quando voltaram a Maharashtra, a aldeia no oeste da Índia onde viviam, os vizinhos e amigos de Mamata e Ajay Dode desde o início souberam do estranho aspecto da menina e começaram a estigmatizar a família pela aparência do bebê.

Os vizinhos evitavam a família e fugiam deles, com medo de contrair a mesma doença. Infelizmente, em vez de compreensão e apoio, a família foi recebida com humilhação e rejeição.

Os jovens pais, que nem sequer deram nome à filha, sucumbiram à pressão dos vizinhos e amigos. Envergonhados, rejeitaram o bebê e começaram a deixar de cuidar da pequena. Inclusive chegaram a deixar de alimentá-la, condenando-a a morrer de fome.

Foi então que o avô da menina, Dilip Dode, interveio. Durante duas semanas, o pedreiro de 50 anos cuidou da neta alimentando-a com colheres de chá de leite de cabra.

“Não é culpa dela ter nascido diferente e eu não irei abandoná-la por isso", declarou o orgulhoso avô.

Quando a pequena ficou doente, Dilip a levou ao hospital em Mumbai, a 138 km da aldeia onde ela havia nascido. A generosidade e o apoio à pequena não terminaram ali, já que o hospital não cobrou a conta de cerca de R$ 18.000 e inclusive cedeu ao avô um local para ficar enquanto cuidavam da pequena para descobrir qual era a sua doença.

A grande maioria das pessoas nunca tem que enfrentar tal nível de rejeição e abandono e muito menos tendo apenas semanas de vida. Entretanto, graças ao coração generoso e compreensivo de Dilip e da compaixão do pessoal do Hospital Wadia, este pequeno bebê terá a oportunidade de crescer rodeado de amor e aceitação.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Pais de menina com doença degenerativa recorrem à Justiça e conseguem dinheiro para o tratamento da filha