Ela sofreu um aborto espontâneo, no entanto, 7 meses depois seu marido encontrou um saco amniótico em seu quarto

Notícias

July 31, 2018 00:07 By Fabiosa

Mereditth Lee Burcham e seu marido, Brandon, ficaram arrasados ​​quando os médicos informaram que ela havia sofrido um aborto espontâneo com apenas seis semanas de gravidez. Então, sete meses depois do infeliz momento, enquanto os dois tentavam continuar com suas vidas, Brandon ficou chocado ao ver uma bolsa no chão do seu quarto. O que encontraram lá dentro foi bem mais do que uma simples surpresa.

Meredith e Brandon estavam em casa quando ela começou a sentir fortes cãibras no estômago, sete meses depois de sofrer seu triste aborto. Meredith gritava de dor no quarto, então Brandon se apressou para ajudá-la. Ele correu para o lado de sua mulher e foi quando fez uma descoberta chocante.

De repente, Meredith expulsou um bebê pequeno ainda dentro de sua bolsa amniótica. No início, o casal ficou atordoado, porque essa era a última coisa que esperavam já que, supostamente, ela sofrera um aborto espontâneo. Além disso, a nova mãe não havia sentido nenhum sintoma de gravidez típica ou qualquer sinal físico de estar grávida.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Gravidez sem barrigão? Saiba mais sobre gravidez silenciosa e como esse fenômeno raro pode surpreender algumas mulheres

Acontece que Meredith acabava de experimentar um tipo bastante raro de parto, que ocorre em menos de 1 em cada 80.000 bebês. Esse tipo de parto ocorre quando o bebê nasce dentro do saco amniótico com uma membrana cobrindo a cabeça e a face do recém-nascido. Esses tipos de nascimentos são realmente incomuns e os bebês nascidos dessa maneira são conhecidos como "bebês empelicados".

Depois de assimilarem o fato de terem acabado de trazer uma criança ao mundo, Meredith e Brandon decidiram verificar os sinais vitais do bebê. Era difícil ver se o bebê estava vivo dentro do saco amniótico intacto, mas, apenas um minuto depois, a bolsa rompeu sozinha e eles puderam ver que seu bebê era uma menina. Mesmo assim, ela ainda não se movia nem produzia nenhum som.

 

Brandon ligou imediatamente para o serviço de emergências e foi questionado pela central de atendimentos se o bebê estava com o cordão umbilical no pescoço. Quando ele confirmou que este era o caso, eles disseram a ele para tirá-lo, o que permitiu que sua filha respirasse e emitisse um grito bem alto. Os paramédicos chegaram rapidamente e imediatamente levaram a mãe e a filha para o hospital.

A maioria das mães confirma que a gravidez é uma das experiências mais desconfortáveis ​​que se pode imaginar. São 9 meses de ganho de peso constante, inchaço, contrações e nenhum controle sobre as emoções. Agora só podemos ter uma ideia o que deve ser este cenário em alguém que está no terceiro trimestre de gravidez sem saber. Mesmo assim, a história de Meredith é uma forte evidência de que as anomalias médicas realmente ocorrem.

De qualquer forma, cada gravidez é única e, embora este casal estivesse procurando uma maneira de suportar a dor de sua perda, o destino surpreendeu-os com um presente do céu, uma bebê que veio para iluminar suas vidas e fazê-los ver que era verdadeiramente única e especial. Ela estava definitivamente destinada a vir ao mundo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 8 curiosidades que ninguém nunca te contou sobre a gravidez