Os 5 principais sintomas de apendicite que indicam que o apêndice pode se romper

Os 5 principais sintomas de apendicite que indicam que o apêndice pode se romper

Saúde e Estilo de Vida

September 20, 2017 10:19 By Fabiosa

A apendicite é bastante comum - 1 em cada 20 pessoas desenvolverão apendicite em algum momento de suas vidas. Em alguns casos, a inflamação do apêndice pode ser tratada com antibióticos e não há necessidade de cirurgia. Mas na maioria dos casos, a única opção é a apendicectomia (que é a remoção cirúrgica do apêndice). Ela é considerada uma cirurgia segura e rotineira e é um dos procedimentos cirúrgicos mais comuns; e as complicações pós-apendicectomias surgem muito raramente. Mas é importante conhecer os sintomas da apendicite (que às vezes se assemelham a uma forte intoxicação alimentar) para resolver o problema em tempo hábil. O rompimento do apêndice leva à peritonite que se desenvolve rapidamente e muitas vezes é fatal.

Se você perceber esses 5 principais sintomas, você precisa ligar para o seu médico ou procurar o atendimento de emergência, o mais rápido possível:

1. Você está sentindo uma dor abdominal intensa

Os pacientes com apendicite relatam que a dor causada pela inflamação do apêndice é a pior dor abdominal que já sentiram. A dor geralmente começa perto do umbigo e depois viaja para o quadrante inferior direito do seu abdômen. O movimento (por exemplo, quando você caminha, espirra ou tosse) também pode exacerbar a dor. Se a sua dor é assim, não perca tempo e ligue para o seu médico.

2. Você tem outros sintomas, como náuseas, vômitos e perda de apetite

Se você tiver esses sintomas, você pode achar que é apenas uma intoxicação alimentar, porém é melhor pecar do lado da precaução e telefonar para o seu médico imediatamente. Nem todos os pacientes com apendicite desenvolvem esses sintomas, mas de qualquer maneira, eles precisam de atenção médica, principalmente se forem acompanhados por dor intensa e, mesmo que não seja apendicite - esses podem ser sintomas de outro problema grave.

3. Você tem um desejo frequente e intenso de urinar e a micção é dolorosa

Esse é o sintoma mais comum de infecção do trato urinário, mas em algumas pessoas também pode ser um sintoma de apendicite. Cedrek McFadden, MD, um cirurgião do trato gastrointestinal da Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Sul, Greenville e do Sistema de Saúde de Greenville, explica: em alguns pacientes, o apêndice está localizado mais baixo na pelve, que é próximo da bexiga. E quando um apêndice inflamado encosta na bexiga, também pode causar a inflamação dela.

4. Você sente febre e calafrios

Uma febre e com calafrios são um sintoma comum de inflamação. Isto é o que acontece se houver uma inflamação, McFadden diz: "O corpo responde, liberando vários produtos químicos para acionar o alarme e levar as células de combate para o local, o que pode se manifestar como dor localizada, assim como com sintomas no corpo inteiro como febre e calafrios”. Juntamente com um ou mais sintomas descritos acima, a febre e os calafrios podem ser um sinal de apendicite.

5. Você tem sintomas mentais, como confusão e desorientação

Esses sintomas podem significar que a infecção está se espalhando. Isso é chamado de sepsia, que pode ser fatal. Dan Gingold, MD, um médico do setor de emergência do Centro Médico Mercy, em Baltimore, diz: "Não é que esteja acontecendo algo no cérebro – é apenas a infecção que está piorando e consumindo muitos recursos do corpo, incluindo oxigênio, sendo assim o cérebro não recebe oxigênio suficiente e não funciona normalmente." O distúrbio mental pode ser um sintoma de muitas outras condições (incluindo um acidente vascular cerebral) e também requer atenção médica urgente.

Referência: Prevention, NIDDK

Este post é apenas para fins informativos. Não se destina a fornecer aconselhamento médico. A A Fabiosa não assume a responsabilidade por quaisquer possíveis consequências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação dietética, ação ou aplicação de medicação que resulta da leitura ou seguimento das informações contidas neste post. Antes de empreender qualquer curso de tratamento, o leitor deve consultar com seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde.