7 maneiras naturais de relaxar e reduzir a ansiedade

A ansiedade não é de todo ruim. Ela te ajuda a estar atento ao perigo e a calcular os riscos. Mas, em alguns casos, a ansiedade se torna uma verdadeira batalha que arruína sua vida cotidiana e afeta seu corpo:

Quando a ansiedade é um problema

Os transtornos de ansiedade são o problema comum de saúde mental. De acordo com a Aliança Nacional de Doenças Mentais, cerca de uma em cada cinco pessoas sofre de diferentes tipos de ansiedade nos Estados Unidos.

Embora o medicamento prescrito para tratar transtornos de ansiedade seja uma parte crucial no gerenciamento dessas condições, muitos remédios naturais e fáceis podem ajudar a se acalmar e a se sentir melhor. Você pode usá-los como um suplemento aos seus comprimidos, se necessário. É importante lembrar que você deve consultar seus médicos sobre todos os métodos que você for experimentar, mesmo que você não esteja tomando nenhum medicamento.

Remédios naturais

1. Valeriana

A valeriana é um suplemento herbal muito popular que pode aliviar a ansiedade. Essa erva contém compostos sedativos; assim, você pode usá-la como um remédio efetivo para combater a insônia. Médicos alemães aprovaram a valeriana como tratamento para problemas do sono. Algumas pessoas não gostam de seu odor desagradável e preferem tomar valeriana em cápsulas. Se você decidir experimentar, use-a à noite, porque ela pode te deixar sonolento.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Desequilíbrio hormonal e ansiedade: existe uma conexão?

2. Bálsamo de limão

O bálsamo de limão (também chamado de melissa) tem sido usado como remédio para o estresse e a ansiedade desde a antiguidade. Ele também ajuda com problemas de sono. De acordo com um estudo, pessoas saudáveis ​​que consumiram extrato de bálsamo de limão ficaram mais relaxadas e calmas do que aquelas que receberam um placebo. Em geral, a melissa é segura, mas alguns estudos demonstraram que tomar muito pode te deixar ainda mais ansioso. É por isso que é importante receber um aconselhamento médico e seguir as recomendações. O bálsamo de limão vem em diferentes formas, incluindo cápsulas, chá e tintura, para que você possa encontrar a melhor opção para você.

3. Lavanda

Experimente o óleo essencial de lavanda para relaxar. Algumas pessoas dizem que colocam uma gota na clavícula e isso as deixa mais tranquilas. O aroma de lavanda tem um efeito calmante. Você também pode esfregar o óleo essencial em suas têmporas. Não se esqueça de verificar primeiro com o seu médico; a lavanda pode causar reações alérgicas.

4. Atividade física

A atividade física é benéfica para sua saúde geral. O esporte é bom para o seu cérebro e, ao mesmo tempo, é uma arma poderosa contra a depressão e a ansiedade. Se você se exercita regularmente, você se sentirá mais saudável e terá mais autoestima.

5. Respiração profunda

As pessoas dizem que a respiração profunda as ajuda a se sentir melhor e a reduzir a ansiedade. Como você sabe, a respiração rápida e superficial é típica das condições de ansiedade. Em alguns casos, isso pode resultar em frequência cardíaca rápida e em tonturas. As práticas de respiração profunda podem mudar a situação e restaurar os padrões de respiração normais.

6. Aromaterapia

A aromaterapia pode ser usada para promover o bem-estar. Estudos demonstram que certos óleos essenciais ajudam a relaxar, melhorar o sono e aumentam o humor. Se estamos falando de ansiedade, experimente os óleos de bergamota, lavanda, toranja e óleos de ylang-ylang.

7. Camomila

O chá de camomila é uma ótima opção para acalmar os nervos e melhorar o sono. Uma pesquisa realizada, em 2009, mostrou que a camomila pode ser usada para transtorno de ansiedade generalizada, então você pode tentar beber à noite para se sentir melhor.

Se você se sentir ansioso, essas ideias podem ajudar a te acalmar. Mas lembre-se que os remédios caseiros não podem substituir a ajuda profissional. É importante falar com seu médico sobre suas preocupações.

Fonte: Health, Everyday Health, Healthline

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Ansiedade pode ser sintoma de baixa autoestima


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.

 

Recomendamos