5 sintomas da síndrome de Cushing em cães

ANIMAIS

5 sintomas da síndrome de Cushing em cães

Date 22 de dezembro de 2017

A síndrome de Cushing é um distúrbio metabólico grave que ocorre quando os níveis do hormônio cortisol permanecem altos por muito tempo. A síndrome de Cushing foi inicialmente diagnosticada em 1932 pelo Dr. Harvey Cushing. Contudo, esta doença grave pode afetar não apenas os seres humanos, mas infelizmente nossos animais de estimação também podem desenvolvê-la. A doença de Cushing é mais frequentemente vista em cães do que em gatos.

O cortisol é um hormônio muito importante, uma vez que é responsável pela reação de "luta ou fuga". Em cães, o cortisol ajuda a combater infecções, manter o peso, e manter os níveis de açúcar no sangue estabilizados. O cortisol é produzido pelas glândulas suprarrenais e, quando liberado em excesso, causa a síndrome de Cushing.

Os sintomas da síndrome de Cushing em cães

A síndrome de Cushing geralmente afeta cães já na meia-idade e filhotes mais crescidos; no entanto, é difícil perceber os sinais de aviso durante as fases iniciais.

Os sintomas desta condição podem incluir o seguinte:

  1. O cão sente mais fome e mais sede que o habitual;
  2. O cão pode fazer xixi com mais frequência: filhotes treinados para não urinar dentro de casa podem não conseguir se conter;
  3. O cão perde pelo e a pele fica fina;
  4. O cão está sempre cansado e inativo;
  5. Os filhotes desenvolvem infecções de pele.

Plano de tratamento

Infelizmente, não há maneira de evitar a doença de Cushing em cães. Normalmente, o tratamento depende das causas que levaram o animal a desenvolver a condição. Se a síndrome de Cushing é resultado de um tumor nas glândulas adrenais, por exemplo, o veterinário pode recomendar a remoção delas cirurgicamente. No entanto, a cirurgia não pode ser uma opção se o seu cachorro tiver outros problemas de saúde.

Cuidados adequados podem ajudar a seu cão a ter uma vida normal e ativa, mas poderá ser necessário tomar medicamentos para o resto da vida. Seu cão também vai precisar de exames regulares para verificar o bom funcionamento do tratamento.

A coisa mais importante que você pode fazer por seu filhote é seguir o plano de tratamento. Preste atenção aos sintomas e ao comportamento do animal. É fundamental ministrar os medicamentos na hora certa. Assim, você e seu veterinário podem trabalhar em conjunto para obter melhores resultados.


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.