Bebê de 5 semanas de idade morreu nos braços da mãe porque o hospital não tinha espaço livre para ela

Inspiração

"Segurar minha filha morta... Eu nunca vou apagar essa imagem da minha cabeça". Uma menina de 5 semanas morreu em casa nos braços de sua mãe porque um hospital não tinha espaço para ela. A mãe da garota, Tessa McAllister, revela sua história comovente para prevenir outros pais.

Menina morreu porque um hospital estava acima da capacidade

Blayke McAllister, de cinco semanas, começou a apresentar problemas para respirar logo após o nascimento. Em algum momento, a condição da menina piorou. Seus pais, Tessa e Cody McAllister, levaram o bebê ao médico da família, Dr. Jeffery Hans.

O médico disse que a pequena Blayke ficaria bem novamente em breve, pois se tratava apenas de um resfriado comum. Entretanto, os instintos dos pais diziam o contrário. Tessa e Coby foram ao Dr. Hans várias vezes seguidas implorando por ajuda.

Depois de a menina não conseguir se recuperar, o médico finalmente fez o exame de sangue. Ele diagnosticou Blayke com um vírus sincicial respiratório. A doença é muito perigosa para recém-nascidos e, na maioria dos casos, requer hospitalização imediata.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Parece história de novela, mas é vida real! Bebês foram trocados na maternidade no Mato Grosso

Tessa e Coby viram um raio de esperança quando o Dr. Hans finalmente entrou em contato com o hospital, mas suas próximas palavras os deixaram em choque.

Ele ligou para o hospital comigo na sala e o hospital disse que não havia espaço para o meu bebê que estava morrendo

Hans disse aos pais que o departamento de emergência estava lotado de pacientes com gripe e sugeriu que fossem para casa e levassem o bebê de volta ao seu consultório no dia seguinte. Tessa se recorda, "Ele havia sido o meu médico por 34 anos e eu confiava nele".

Descanse em paz, pequena Blayke

Quando a mulher acordou no dia seguinte, ela encontrou a filha irresponsiva. Blayke morreu nos braços de Tessa com seus pequenos dedos em volta da mão da mãe. A mãe desesperada disse:

Eu a peguei enquanto chorava e corri... 'Por favor, Deus. Não, por favor, Deus'. E eu estava rezando a 'Ave Maria' e o 'Pai Nosso'. Eu estava rezando todas as orações que eu havia aprendido.

A história de Blayke Amelia-Rae será exibida na Rádio CBC e no site a partir de amanhã de manhã às 5 horas. Em seguida, ela irá ao ar para TODO O PAÍS às 18h, amanhã, no [noticiário] CBC NEWS em 6 de março!! Ajude nossa família a ter as respostas que merecemos!!! #PRAYFORBLAYKE!!!! POR FAVOR COMPARTILHE! Blayke ainda deveria estar aqui hoje! 5 semanas de idade, irmãzinha de 3 outras meninas!!! Ajude nossa família a se curar.

Hoje, a família McAllister está aguardando os resultados da autópsia para descobrir a causa exata da morte. Os representantes do hospital tratam a tragédia como resultado de falta de comunicação, dizendo que nunca recusariam um paciente que precisasse de ajuda. Eles abriram uma investigação sobre o caso.

via GIPHY

Os pais de Blayke decidiram compartilhar sua história comovente para alertar outros pais sobre a negligência de alguns médicos. Eles pedem a todos os pais que confiem em seus instintos quando se trata do bem-estar de seus filhos.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Renata Banhara tem plano de saúde cortado pelo ex-marido e é atendida pelo SUS: “Para não dar espaço aos maldosos, aqui somos todos atendidos com senha”

Recomendamos