3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comp

FAMÍLIA & CRIANÇAS

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é real

Date November 14, 2018 21:33

Imagina-se que pessoas em relacionamentos próximos devam se amar e se ajudar um ao outro. Mas isso acontece apenas em relacionamentos saudáveis. A verdade, porém, é que existe tanta violência e abuso na sociedade atual, que relacionamentos saudáveis ​​parecem ser algo incomum e excepcionalmente raro. Acreditamos, no entanto, que isso pode ser resolvido, educando-se sobre este tema e compartilhando o conhecimento. Queremos contar algumas histórias de violência doméstica que podem ensinar muitas coisas.

Infelizmente, muitas histórias de violência doméstica resultam na morte da vítima. De acordo com  estatísticas recentes, quase 40% das mulheres mortas foram assassinadas por seus parceiros ou ex-parceiros. Mas não pense que são apenas as mulheres que sofrem de abuso doméstico. Estima-se que uma em cada quatro mulheres e um em cada sete homens sofram de violência severa provocada pelo parceiro íntimo durante a vida. Se isso não for um bom motivo para resolver esse problema o mais rápido possível, então, não sabemos o que é.

Vamos aprender com as seguintes histórias sobre como evitar a violência doméstica.

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é realTiko Aramyan / Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Especialistas mostram como mulheres traumatizadas pela violência doméstica podem se recuperar

Histórias de abuso doméstico

1. Protegendo as crianças

Katherine conheceu seu futuro abusador e instantaneamente o achou um charme. Ele até disse a ela que não suportava homens que batiam em suas esposas. E, de fato, ele não bateu nela. Em vez disso, ele chutou, empurrou, xingou, a isolou de cada pessoa que se importasse e destruiu completamente sua autoestima. Ele culpou Katherine e seus filhos por sua agressão e violência e ela acreditou que era tudo culpa sua. Ele até ameaçou matar a todos, incluindo as crianças. E as coisas só mudaram quando ele começou a abusar das crianças, que foi quando Katherine telefonou para um velho amigo e contou tudo.

Acontece que ela não estava sozinha. Ela recebeu ajuda no Centro de Violência Doméstica e, aos poucos, Katherine recuperou sua autoestima. Além disso, o tribunal proibiu o abusador de entrar em contato com ela ou com os filhos novamente. Katherine encontrou a força dentro dela para pedir ajuda e, felizmente, havia pessoas dispostas a socorrê-la.

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é realAfrica Studio / Shutterstock.com

2. A história de mais uma chance

Anna sabia sobre o histórico familiar de abuso e violência do marido, mas ela se apaixonou por ele e acreditou que ele mudaria quando se afastasse dos pais. Mas ele iria, devagar mas firmemente, seguir os passos dos pais. O agressor ameaçou matá-los e, quando Anna deu à luz, o abuso mental e o vício sexual aumentaram. Ele amarrou Anna um dia com tanta força que a mulher perdeu parcialmente a audição. Mas não era apenas isso, ele também tinha vários casos amorosos. Apesar disso tudo, ela o amava, pelo menos era o que ela pensava. Mas isso não era verdade. Essa foi uma história horrível de abuso doméstico, que ela teve que mudar.

As coisas mudaram quando Anna teve que constantemente impedi-lo de fazer sexo com sua filha por várias semanas e  o ápice ocorreu quando ele jogou uma faca em seu filho. Ela percebeu que esse comportamento estava muito além do aceitável. Ela fez aconselhamento e exigiu que o marido saísse de casa para sempre. Seu psicólogo a ajudou a entender que ninguém merece ser abusado. Anna conta sobre o inferno que ela estava vivendo:

É fácil dizer "VÁ EMBORA", mas eu sei como é querer dar uma quinta, sexta e sétima chances.

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é realDmytro Zinkevych / Shutterstock.com

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 8 celebridades que confessaram ter sido vítima de violência doméstica no casamento e durante a infância

3. Homens não choram

A próxima história de violência doméstica é sobre uma vítima do sexo masculino. David era um pai solteiro e se casou com uma mulher que mais tarde se tornou sua torturadora. Ela jogava sua culpa nele, dizendo o tempo todo que a culpa era dele. Ela constantemente o menosprezava, batia nele e o forçava a fazer sexo sempre que ela quisesse. Ela vivia dizendo que ele merecia isso por ser um mau marido. Até a mãe achava que era tudo culpa dele, que ele fez algo para que ela se comportasse daquela maneira. As torturas continuaram por vários anos, quando, em um dia, ela se mandou.

Os filhos de David ficaram com ele e presenciaram todo aquele horror. Mesmo depois de cair em depressão severa e perder o emprego, ele sabia que eles precisavam dele. Os filhos eram as únicas pessoas no mundo que não o abandonaram. Um psicólogo ajudou David a perceber que ele foi violado e abusado. Felizmente, nesta história horrível, a vítima da violência doméstica encontrou forças em seus filhos, que sempre estiveram presentes para ele e, assim, ele conseguiu sobreviver.

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é realMonkey Business Images / Shutterstock.com

Regras de sabedoria

Acreditamos que o abuso doméstico não deva ser tolerado. Todo mundo que passa por isso deve lembrar-se destes conselhos simples, mas muito poderosos:

  1. Você não está sozinho, há pessoas que podem ajudar.
  2. Ninguém merece ser sexual ou fisicamente abusado, manipulado ou menosprezado.
  3. Os abusadores nunca mudam. Você não pode sacrificar sua vida.

3 histórias horríveis sobre violência doméstica que comprovam que o problema é realSinisha Karich / Shutterstock.com

Sim, a gente entende. Pode parecer muito simples e muito fácil de fazer, mas para várias vítimas de violência doméstica é extremamente difícil escapar dessa prisão. Mas tenha certeza, é possível! Você tem muito mais para dar e merece uma vida melhor. Não deixe ninguém mudar isso na sua cabeça. E para aqueles que se tornam testemunhas de abuso doméstico, por favor, não feche os olhos para o problema. Não é apenas um "assunto de família". Relate o incidente, especialmente se você acredita que ele é perigoso. Às vezes, você é o único que pode ajudar.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Polícia de cidade da Bahia cria Ronda Maria da Penha para proteger vítimas de violência doméstica