"Eu não vou ser aquela mãe que abandona seu filho". Mãe perdoa filho por matar brutalmente sua irmã de 4 anos e cria uma organização sem fins lucrativos para ajudar outras famílias

Família & Crianças

June 22, 2018 14:22 By Fabiosa

Os EUA estão passando por problemas que, definitivamente, são difíceis de compreender; contudo, eles não vão simplesmente desaparecer se forem ignorados. O preço que se paga pela ignorância é enorme: a morte de milhares de pessoas inocentes.

Queremos contar a história de uma mãe para provar nosso ponto. Seu filho de 13 anos, Paris, assassinou brutalmente sua irmã de 4 anos de idade, Ella, esfaqueando-a 17 vezes.

Como isso aconteceu?

Em 5 de fevereiro de 2007, Charity Lee estava no trabalho quando seu filho Paris convenceu a babá a ir para casa e, então, se dirigiu para o quarto de Ella, onde sua irmã já estava na cama dormindo. Ele pegou uma faca para matá-la e pouco depois ligou para o 911, confessando o assassinato. No início, o garoto disse que teve uma alucinação, mas, mais tarde, Paris contou à mãe que fez isso de propósito para "destruí-la" em uma vingança por abuso de drogas.

Ella tirou esta foto. Foi a última vez que Paris e eu tiramos uma foto enquanto nós dois habitávamos o mundo livre.

Supostamente, Charity tinha sido viciada em heroína antes de dar à luz Paris e teve uma recaída no uso de drogas após ter sua segunda filha. Paris foi condenado à pena máxima de 40 anos de prisão por homicídio juvenil. Embora ele tenha sido diagnosticado como sociopata, Paris ainda afirma que não sofre de nenhuma doença mental. O menino tem um QI de 141, o que é considerado genial.

Charity perdoou seu filho

A mãe afirma que nunca teve qualquer indicação de que ele poderia fazer algo assim. Charity explica que Paris foi diagnosticado com distúrbio de conduta. Ela o compara a um tubarão, o que faz com que seja capaz de perdoar seu filho:

Só quando entendi o que Paris é – um predador – consegui perdoá-lo. Por exemplo, se eu estivesse nadando em um oceano lindo, me divertindo, e um tubarão surgisse e mordesse minha perna, espero não passar o resto de minha vida odiando aquele tubarão.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Transexual se recupera após passar 11 anos com o rosto desfigurado por causa de falso cirurgião que injetou cimento em seu rosto

Em 2013, Charity deu à luz seu terceiro filho, Phoenix, e Paris não tem permissão para vê-lo. Você pode se perguntar onde está o pai do jovem. O pai de Paris visitou seu filho uma única vez quando ele tinha 16 meses de idade. Ficou claro para Charity que algo estava errado. Ela então descobriu que o pai havia sido diagnosticado com esquizofrenia paranoide. O pai de Ella também deixou a família. Mais tarde, Charity conheceu outro homem e ficou grávida de Phoenix. Mas o pai não faz mais parte da vida deles.

O primeiro passo do nosso projeto #kindnessrocks... Encontrar, limpar e fazer movimentos com pedras... Fique ligado...

Não muito tempo depois da morte de Ella, Charity iniciou uma organização sem fins lucrativos para prevenir a violência, a ELLA Foundation. O objetivo é ajudar pessoas por meio da educação, reformas da Justiça Criminal e defesa das vítimas. Charity perdoou seu filho e tenta ajudar outras famílias.

Por mais que tenha aprendido a perdoar Paris, você nunca se cura completamente de algo assim. Você aprende a viver com isso. Ele poderia ter feito outras 10.000 escolhas naquela noite e nunca vou entender por que ele fez o que fez.

4 anos... No skatepark.

Fatores que podem ter levado a essa tragédia

Paris cometeu um crime horrível, mas sempre há uma razão para isso. A mãe opta por culpar a doença, o que o torna um predador, e isso é compreensível. No entanto, a doença não surge simplesmente do nada. Há pelo menos três fatores extremamente sérios que podem ter afetado o garoto:

  1. O primeiro fator são problemas de saúde mental herdados pela genética, pois o pai do menino sofria de esquizofrenia paranoide.
  2. O vício em drogas da mãe (o pai também pode ter sido viciado).
  3. A família vivia sem figura paterna. Estudos mostram que crianças de famílias monoparentais têm saúde mental menos estável.

Ao contrário da crença popular, o meu Paris era um irmão mais velho incrível...

Claro, não podemos culpar totalmente a mãe pelos crimes de seu filho. Entretanto, devemos aprender algo com tragédias tão horríveis como esta para impedi-las de acontecer no futuro, não é mesmo? E Charity certamente cometeu alguns erros cruciais em sua vida, os quais podemos tentar evitar.

Como uma moeda, um problema pode ter dois lados. Nós deveríamos ser capazes de enxergar os dois.

Fonte: Daily Mail, Good Housekeeping

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Filha encontra o assassino de seu pai 30 anos após o crime e consegue vingança!