Mulher compartilha foto de um tipo raro de câncer de mama para alertar mulheres em todo o mundo

Caso você ainda não saiba, uma em cada oito mulheres, ou seja, aproximadamente 12,4% da população feminina dos Estados Unidos, desenvolve câncer de mama em algum momento de suas vidas, o que torna esse tipo de câncer o mais comum entre as mulheres americanas. Mais de 40.000 mulheres morrem anualmente em decorrência de tal doença.

Por mais incrível que possa parecer, não há qualquer evidência que nos faça deduzir que o câncer de mama tenha qualquer elemento de cunho genético, mesmo porque, 85% das pacientes diagnosticadas com câncer não apresentam qualquer caso anterior de câncer na família. Portanto, é extremamente importante que todas as mulheres conheçam os sintomas relacionados à doença, que pode ser mortal, mesmo aquelas tidas como bastante raras.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Esse truque pode ajudar a prevenir o câncer de mama

A luta de Jennifer

Jennifer Cordts teve um mau pressentimento sobre o que parecia ser uma simples erupção cutânea na região dos seios. No início, ela pensou que fosse algo como uma irritação ou queimadura por conta de muita exposição ao sol. No entanto, o problema persistiu, então ela decidiu marcar uma consulta com um especialista.

Na consulta, Jennifer ouviu que seu sutiã era pequeno demais, enquanto o médico prescrevia antibióticos para lidar com uma suposta inflamação. Infelizmente, nada daquilo deu resultado.

 

Jennifer passou então a ter dores nos seios alguns dias depois, mas os exames de sangue e a mamografia não apresentaram qualquer sinal de câncer. Foi quando Jennifer decidiu ir a fundo no assunto e procurar, a qualquer custo, uma explicação para o que estava de fato acontecendo com ela. 

Foi então que Jennifer foi pesquisar no Google e, basicamente, a primeira informação que ela teve foi sobre um câncer de mama do tipo inflamatório. Ela entendeu, do conteúdo lido, que essa erupção cutânea é característica deste tal tipo raro de câncer. Mas o pior de tudo foi saber que ninguém ainda havia sobrevivido a este tipo de câncer.

Tipo de câncer agressivo e praticamente sem sintomas

O câncer de mama do tipo inflamatório é o mais agressivo entre os tipos conhecidos de câncer de mama que uma mulher pode sofrer. Pode rapidamente se espalhar pelos gânglios linfáticos, fígado e ossos. Isso foi exatamente o que aconteceu com Jennifer. Por fim, Jennifer recebeu dos médicos uma expectativa de vida de mais 3 a 5 anos, visto que o estágio da doença tinha atingido o grau 4, já irreversível. 

Brandon Mowry / YouTube

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Estudo feito na Suécia aponta novo fator de risco no diagnóstico de câncer de mama

Na maioria dos casos, o câncer de mama do tipo inflamatório não apresenta nenhum sintoma. Não há qualquer caroço a ser apalpado e não há qualquer indício específico a ser identificado em mamografias. Normalmente, uma erupção semelhante àquela apresentada por Jennifer é o único sintoma inicial. Outro sintoma raro pode ser a indicação de inchaço da pele na parte superior dos seios, por vezes doloroso.

Biópsia para a confirmação

Por conta dos inúmeros sintomas enganosos é importante que as mulheres observem quaisquer alterações em seus seios. Este tipo de câncer pode ser facilmente confundido com uma infecção ou mesmo com uma reação alérgica. Portanto, se o tratamento para infecção ou alergia não surtir qualquer efeito dentro de 10 dias, é bastante prudente solicitar uma biópsia. Normalmente, o câncer de mama do tipo inflamatório pode ser diagnosticado através de uma biópsia de pele.

Brandon Mowry / YouTube

Jennifer Cordts tem lutado muito contra a doença e está disposta a compartilhar sua história com o objetivo de informar, alertar e, se possível, ajudar a salvar a vida de outras tantas mulheres:

Se tivéssemos descoberto isso mais rápido, talvez ainda pudesse haver esperanças para mim. Eu poderia viver um pouco mais se os médicos tivessem entendido antes o que estava acontecendo comigo. Agora, a minha luta é para ajudar outras pessoas. 

Os médicos sempre aconselham que as mulheres monitorem quaisquer alterações em seus seios e que passem por exames regulares para aumentar as chances de cura em casos de doenças como essas. Lembrem-se que quanto mais cedo o câncer for descoberto, maiores serão suas chances de cura!

                                                                                                              Fontes: Self, GoodToKnow, Reader'sDigest

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Câncer de mama: medidas que podem ser tomadas para a prevenção e os fatores de risco dessa doença


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.

Recomendamos