7 sintomas alarmantes de doença inflamatória pélvica e como prevenir esta condição p

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

7 sintomas alarmantes de doença inflamatória pélvica e como prevenir esta condição perigosa

Date May 17, 2018 22:02

A doença inflamatória pélvica (DIP) é uma condição perigosa que afeta mais de 1 milhão de mulheres americanas a cada ano. Esta doença é assustadora porque muitas vezes não provoca sintomas e ainda pode ser mortal se a infecção se espalhar para o sangue. A DIP é basicamente uma inflamação nos órgãos reprodutivos de uma mulher, como o útero, tubas uterinas, colo do útero e ovários, geralmente causada ​​por uma infecção sexualmente transmissível (DST).
 

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 8 causas comuns de dor pélvica crônica

Como você contrai DIP?

Normalmente, você pode contrair DIP por ter relações sexuais desprotegidas. No entanto, as bactérias vaginais normais às vezes podem viajar para os órgãos reprodutivos, o que pode provocar a doença. Isso pode ocorrer especialmente se você usa duchas. Não é recomendado o uso de produtos para a higiene interna porque a sua vagina é projetada para manter o equilíbrio de bactérias e, naturalmente, limpar-se sozinha. Tais intervenções podem levar a uma redução das bactérias boas e a um aumento das bactérias ruins. Além disso, se você estiver tentando se livrar de um odor desagradável, isso pode piorar.
 

Quais são os sintomas da DIP?

Normalmente, a DIP não possui sintomas graves ou específicos para determinar se você tem a doença. No entanto, se você tiver alguns destes, recomenda-se consultar o seu médico:

  1. Dor aguda ou crônica no baixo ventre.
  2. Febre, que também pode indicar o processo inflamatório.
  3. Aumento do corrimento vaginal com odor desagradável.
  4. Sangramento e/ou dor durante a relação sexual.
  5. Dor e/ou dificuldade durante a micção.
  6. As infecções frequentemente causam cansaço.
  7. Períodos menstruais irregulares.

 

Quais são as consequências da DIP não tratada?

Uma vez que a DIP raramente causa sintomas e muitos deles podem ser considerados “suportáveis”, muitas mulheres tendem a negligenciar o diagnóstico e o tratamento da doença. Isso pode levar a complicações muito graves:
 

  • infertilidade (incapacidade de conceber uma criança);
  • gravidez ectópica (gravidez fora do seu útero);
  • dor pélvica crônica (os analgésicos têm pouco efeito).
  • abscesso tubo-ovariano (abscesso é uma massa que geralmente contém pus, que pode levar a uma infecção com risco de vida se não for tratada).
     

Como prevenir a DIP?

1. Sexo seguro. Nem todas as formas de contracepção protegem contra a doença. Obviamente, as pílulas anticoncepcionais não têm utilidade na proteção contra DSTs, enquanto os preservativos certamente podem reduzir o risco de infecção. Lembre-se de que mesmo os preservativos, se usados ​​corretamente, são apenas 98% a 99% eficazes.

2. Exames. Faça exames para DSTs regularmente para ter certeza sobre sua saúde. É ainda mais importante solicitar que seu parceiro também os faça.

3. Não use ducha. Como você já sabe, a vagina de uma mulher é projetada para regular tudo automaticamente. Se você tem um odor muito desagradável ou corrimento vaginal intenso, é melhor consultar o seu médico.
 

É importante entender que a doença inflamatória pélvica é uma condição extremamente perigosa principalmente devido à sua natureza assintomática. Se tiver alguma dúvida ou sintoma, não hesite em pedir ajuda médica profissional. Caso contrário, as complicações podem ser irreversíveis.

Compartilhe este artigo se você o achou útil. Cuide-se e fique bem!

Fonte: Mayo Clinic, Health Line, Women's Health

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Dor abdominal? Isso pode ser mais que uma simples cólica menstrual


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.