Jornalista da Globo toma “chá de sumiço” após vazamen

CELEBRIDADES

Jornalista da Globo toma “chá de sumiço” após vazamento de vídeo íntimo

Date February 28, 2018 18:49

No último dia 17 de fevereiro, o jornalista da Rede Globo, Rodrigo Bocardi, 42 anos, foi vítima de um suposto vídeo íntimo que circulou pela internet. Durante todo aquele final de semana seu nome ficou entre os mais comentados nas redes sociais. Duas semanas após o ocorrido, o apresentador do Bom Dia São Paulo tomou um bom "chá de sumiço".

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Após vazamento de suposto vídeo íntimo, jornalista da Globo aciona advogados e identifica possível autor

Desde que começou a circular o vídeo, Bocardi se ausentou de todas as suas redes sociais. No Instagram e Twitter, onde ele bate cartão mostrando os bastidores do BDSP e seu dia, as últimas postagens foram feitas no dia 17 de fevereiro.

Além de não atualizar mais seus perfis, o jornalista também bloqueou a opção de comentários nas duas redes. Ele vinha recebendo muitas mensagens de apoio, mas também tinha uma enxurrada de comentários maldosos.

O silêncio de Bocardi não é só nas redes sociais, já que ele ainda não se manifestou publicamente sobre o vídeo. Muitos esperaram alguma explicação ou nota oficial, mas o jornalista resolveu adotar a lei do silêncio.

Assim que o vídeo íntimo vazou, os advogados do âncora tem trabalhado no caso e tentando descobrir de como a filmagem foi parar na web. Até o momento, a única informação é que pode ter sido um assessor de impressa com mais de 20 mil seguidores no Twitter e foi o primeiro a publicar o vídeo. A veracidade da filmagem também foi questionada, pois muitos acreditam que seja uma montagem.

Apesar de ter ficado quieto nas redes sociais, Rodrigo vem trabalhando normalmente e já apresentou o Jornal Nacional, substituindo William Bonner.

Muitos esperam um posicionamento de Bocardi, mas pelo jeito vai continuar do mesmo jeito, em silêncio. Uma pena, pois ele é um dos queridinhos na web.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Globo já tem substituto de William Bonner para bancada do Jornal Nacional